Hospital dos Pequeninos irá receber um total de 750 crianças

17 Jul 2017 / 19:45 H.

Numa altura em que as idas à praia aumentam devido ao calor, é preciso ter em atenção os cuidados com a exposição solar. E nada melhor do que começar a incutir os efeitos nefastos do sol desde a mais tenra idade.

No gabinete da ‘Protecção Solar’, do Hospital dos Pequeninos, que irá estar instalado no Museu de Imprensa, em Câmara de Lobos, durante uma semana, estava Ângela Abreu a ‘atender’ João Esmeraldo. A jovem, que faz parte da Associação Juvenil de Medicina da Madeira, entidade promotora daquela iniciativa, disse que é importante transmitir este e outros saberes aos mais novos, de forma a que estes sejam pessoas informadas e, posteriormente, veículos transmissores de conhecimento.

“Como costumamos dizer: ‘É de pequenino que se torce o pepino’. E, por isso, é muito importante as crianças terem a noção dos benefícios da prevenção solar, porque esta é uma coisa que não se vê fisicamente, mas quando há excessos pode já ser tarde”, referiu.

No caso da exposição escolar, destacou o facto de este género de ‘consultas’ servir para que os mais pequenos sejam capazes de chamar a atenção dos pais na praia que, por distracção, possam se esquecer de colocar protector solar.

João Esmeraldo, que ouvia atentamente a conversa, disse que quando for à praia irá coloca protector solar, usar um chapéu e vestir uma camisola. Esta é a prova de que o Hospital dos Pequeninos começa a dar os seus frutos logo no primeiro dia, enchendo de orgulho Ângela Abreu que estava com uma sensação de dever cumprido.

Jaime Abreu, presidente da Associação Juvenil de Medicina da Madeira, explicou que esta é a primeira vez que se realiza o Hospital dos Pequeninos na Região, tendo a ideia surgido através de várias estudantes de Medicina, das mais diversas áreas, que já participaram neste género de iniciativa no continente. Refira-se que, no total, estão envolvidos 150 jovens, sendo que no hospital irão ‘dar entrada’ 750 crianças.

Pedro Ramos, secretário regional da Saúde, que esteve, esta manhã, presente na sessão de abertura do Hospital dos Pequeninos, disse que esta é uma excelente forma de “desmistificar o síndrome da bata branca”. Isto tendo em conta que muitas crianças têm medo dos médicos e de ir ao hospital.

Tópicos