Grupo Sousa impedido de concorrer ao ferry para o continente

04 Jul 2017 / 10:43 H.

Gil Canha pediu para Eduardo Jesus não mentir ao dizer que não há ferries disponíveis para fazer a operação do Porto Santo em Janeiro. No Egipto e na Grécia “há dezenas deles”.

O deputado independente perguntou se o Governo Regional alguma vez apresentou queixa na Autoridade da Concorrência sobre as condições combinadas no transporte marítimo para a Madeira.

Francisco Nunes (PSD) lembrou a TAP, que não cumpre devidamente os seus deveres e também que o subsídio social de mobilidade pode ser melhorados, com a alteração de duas portarias do Governo da República. Sobre o ferry, afirmou que todos os partidos ia fazer tudo para que fosse uma realidade. O deputado perguntou quanto se perspectiva que custará a linha.

Carlos Costa (JPP) lembrou que o tema em debate “já se arrasta há décadas”.

O deputado fala em inabilidade do Governo regional ara com o da Madeira e dá o exemplo do hospital da Madeira, da dívida dos subsistemas de saúde, do ferry, do avião cargueiro, do subsídio de mobilidade, entre outras.

Nas respostas, Eduardo Jesus pediu a demonstração da disponibilidade de ferries e disse que a Autoridade da Concorrência impede o Grupo Sousa de concorrer ao ferry para o continente, ainda que não tenha referido o nome do operador. É para não haver concentrações, justificou.