Lisboa junta-se amanhã aos protestos em prol de Lula da Silva preso há 500 dias

Lisboa /
19 Ago 2019 / 11:19 H.

A prisão política do ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, chega amanhã, 20 de Agosto, aos 500 dias. O marco será lembrado em protestos pelo Brasil e por diversas cidades da Europa e América. Em Lisboa, o acto de solidariedade está marcado para as 18 horas, na praça Luís de Camões.

Organizado pelo Comité Internacional Lula Livre em Lisboa, o acto faz parte da ‘Jornada Internacional de Solidariedade: 500 dias de injustiça’, que denuncia a ruptura do Estado Democrático de Direito no Brasil. Assim, a organização convida todos os que defendem o Estado Democrático de Direito e os Direitos Humanos a se juntarem a esta campanha.

“Lula deixou a Presidência da República como um dos mais proeminentes líderes mundiais, teve sua imagem, sua história e sua vida massacradas por uma acção articulada entre sectores do Judiciário, da imprensa e de partidos que agora governam o nosso país”, escrevem Celso Amorim, Paulo Okamotto e Mônica Valente em carta que endossa o envolvimento da população na causa.

As recentes informações trazidas a público pelo Portal ‘The Intercept’ revelam a “injustiça e ilegalidade do processo conduzido sem provas por um juiz imparcial que dava conselhos ao procurador”, refere o Comité. A prisão de Lula é entendida como parte desse projecto que tenta “descredibilizar e criminalizar o PT a fim de impedir a participação do candidato com mais intenções de votos no processo eleitoral, tornando possível a ascensão de um candidato fascista ao poder, que tem empregado no Brasil uma política de destruição a todos os avanços progressistas conquistados”, diz a mesma fonte.