Suécia arquiva investigação a Julian Assange sobre violação

19 Mai 2017 / 10:56 H.

O ministério público sueco vai abandonar a investigação preliminar sobre a alegada violação de que era acusado o fundador da WikiLeaks, o australiano Julian Assange, e já pediu ao tribunal para cancelar a ordem de detenção.

“O procurador chefe Marianne Ny decidiu hoje descontinuar a investigação preliminar sobre a suspeita de violação que recai sobre Julian Assange”, disse o escritório num comunicado.

Assange - que sempre negou a acusação - vive na Embaixada Equatorial, em Londres, desde 2012, tendo-se refugiado lá para evitar a extradição para a Suécia e, consequencialmente, para os EUA, onde se arriscava a enfrentar a justiça, por causa da divulgação de milhares de documentos secretos.

Em 2015, o ministério público já tinha deixado cair um processo em que o australiano era suspeito de agressão sexual a duas cidadãs suecas.