Subsídio de mobilidade suscita críticas do PDR

17 Jul 2017 / 10:48 H.

O Partido Democrático Republicano emitiu um comunicado onde torna a lançar duras críticas ao “jogo do empurra entre governos” devido ao subsídio de mobilidade. Filipe Rebelo lamenta que, após dois anos da entrada em vigor deste subsidio, nada tenha sido feito para corrigir lacunas.

“Basta de dizer que a culpa é do governo da República, que não está a cumprir com o acordo”, refere Filipe Rebelo. Aliás, questiona “porque é que o governo Regional ainda não reclamou na Europa que a República não está a cumprir o acordo firmado com a Região, quer com o subsídio de mobilidade quer com o serviço público”.

“Com viagens aos preços que estão a ser praticados pela TAP, e por arrasto pelas outras duas companhias que viajam para a Região, uma desde Lisboa e outra desde o Porto, não se pratica serviço público, como nunca se respeitou a constituição, que defende a continuidade territorial”, atira o partido.

O PDR afirma que é tempo de agir e diz que “basta de explicações e choradinhos de quem tem o dever de fazer mais por esta questão”. “Os madeirenses merecem mais e não se pode admitir que, passado este tempo, só se saiba de concreto que o subsídio atribuído para as viagens já ultrapassou os 24 milhões de euros”, afirma Filipe Rebelo.

Por fim Filipe Rebelo salienta que o seu partido vai continuar atento a esta situação, denunciando todas as injustiças que estão a ocorrer com o subsídio de mobilidade e o aproveitamento das companhias aéreas, principalmente com a TAP que tem obrigações de serviço público para com os madeirenses.

Outras Notícias