Rubina coloca jovens em lugares de decisão no Funchal

12 Ago 2017 / 20:39 H.

A cabeça-de-lista do PSD à Câmara Municipal do Funchal, Rubina Leal, afirmou, esta tarde, numa iniciativa no Socorro, que “os jovens são um factor essencial no desenvolvimento de uma cidade” e que por isso “qualquer município tem de atender às políticas na área da juventude e envolver os jovens em lugares que sejam de decisão e de participação activa na política”. Para provar que pratica aquilo que apregoa, a candidata explicou que reservou os 7.º, 8.º e 9.º lugares da sua lista para a Assembleia Municipal para jovens, que, assim, “terão oportunidade de poder trabalhar em prol da cidade do Funchal”.

A iniciativa desta tarde serviu para Rubina Leal destacar as principais políticas e medidas que preparou para a área da juventude, pois pretende “que o Funchal seja uma cidade de oportunidades também para os jovens”. Em termos de políticas direccionadas para estudantes, a candidata do PSD quer criar uma bolsa de estudo para os alunos universitários, um fundo de emergência universitário para dar resposta a algumas situações trágicas, promover o cartão jovem para que possam adquirir produtos e serviços com descontos especiais e lançar o banco de manuais do ensino superior.

Já quanto a políticas relacionadas com o início da vida activa, Rubina Leal promete criar uma bolsa no âmbito do empreendedorismo, continuar com a formação em contexto real de trabalho (medida que foi por si criada enquanto vereadora) e avançar com uma incubadora de empresas onde os jovens possam iniciar a sua vida activa e desenvolver os seus projectos. “O município não tem competências exclusivas na área do emprego mas pode sem dúvida promover condições no sentido da criação de mais emprego e sobretudo desenvolver programas que apoiem directamente os nossos jovens”, comentou a candidata.

Por fim, no domínio da habitação, a cabeça-de-lista social-democrata conta preparar incentivos ao arrendamento e à compra ou reconstrução da primeira habitação (por exemplo, isenção de taxas) e criar uma bolsa de terrenos destinada à construção de habitação própria (aproveitando alguns terrenos que são propriedade do município).

Outras Notícias