Consulado da Venezuela na Madeira está em funcionamento mas com a porta trancada

19 Mai 2017 / 12:48 H.

O Consulado da Venezuela na Madeira está novamente em funcionamento, mas com particularidade de ter a porta trancada. Quem quiser entrar não o pode fazer, sendo que a única maneira de “penetrar” este muro é mesmo pedindo uma audiência por telefone à secretária do representante deste país sul-americano na Região, nomeadamente o cônsul Félix Correa. Esta é a resposta que a maioria dos venezuelanos tem obtido quando por estes dias se tem dirigido a este local.

Na entrada está afixada uma informação que é comum a todos os consulados venezuelanos em território nacional, numa nota emitida no passado dia 15 de Maio. Não são permitidas bolsas, carteiras, telefones, câmaras ou qualquer outro dispositivo electrónico e todos aqueles que, por alguma razão, necessitem dos serviços desta instituição, devem fazer-se acompanhar exclusivamente dos documentos para o efeito.

Recorde-se que na passada quarta-feira um grupo de 70 pessoas manifestou-se junto ao edifício onde fica sediado o consulado, na Rua da Fábrica, com o intuito de exigir a este órgão representativo que fale a verdade sobre os acontecimentos na Venezuela, neste caso as mortes que se têm sucedido “sem qualquer motivo”, salientou na altura Enrique Vieira, responsável pelo movimento ‘Luso-venezolanos por la verdad’.