Cidades candidatas a Capital Europeia da Cultura 2027 vão pedir apoio ao Governo

25 Jan 2020 / 03:18 H.

Sete cidades portuguesas candidatas a capital europeia da cultura 2027 reuniram-se esta tarde no Museu de Portimão para discutir pontos em comum nos diferentes processos e consideraram essencial o apoio do Governo para o êxito da candidatura.

Braga, Coimbra, Évora, Faro, Guarda, Leiria e Oeiras assumiram que a cooperação é “muito importante” neste processo que coloca “uma parte do país a pensar na cultura como meio do desenvolvimento dos seus territórios”, mas que as cidades “não podem continuar a trabalhar sozinhas até 2027”, afirmou aos jornalistas Rogério Bacalhau, presidente da Câmara Municipal de Faro, a meio da reunião conjunta.

“Neste momento queremos apenas que o Governo esteja connosco, não queremos dinheiro para o orçamento de 2021 ou 2027, queremos que se sente à mesa connosco, discuta os problemas e ajude a construir soluções”, defendeu.

O porta voz da reunião de autarcas destacou que, em cima da mesa, estiveram os problemas de financiamento, de candidaturas e apoios governamentais, juntamente com o calendário de 2021 -- com eleições autárquicas -- que não gostariam que fosse uma “preocupação extra” para os municípios envolvidos nas candidaturas.

Não concretizando apoios concretos, o autarca afirmou que é importante que o Governo “esteja com os municípios neste processo”, e que participe na construção da candidatura e, no final, “apoie financeiramente a cidade que ganhar, se puder apoiar as outras, melhor”, reforçou.

Todas a candidaturas defenderam que uma Capital da Cultura Europeia não é um programa de festas e, assim, cada município está a preparar planos estratégicos de desenvolvimento cultural das comunidades, transformação que querem ver realizada através da Cultura.

“Mesmo quem não vencer a designação de Capital Europeia da Cultura, as [suas] comunidades ficam a ganhar, porque vão aparecer novos agentes, novos equipamentos e novas formas de pensar o território. Um trabalho que deve ficar feito para além de 2027”, insistiu Rogério Bacalhau.

Depois do encontro com os jornalistas, a reunião prosseguiu, estando marcado para as 20:00 um jantar com a ministra da Cultura, Graça Fonseca, numa apresentação formal, onde a titular da pasta ficará a conhecer pessoalmente os responsáveis pelas candidaturas e algumas das questões discutidas durante a tarde.

A Câmara Municipal de Faro, organizadora desde encontro, informou que foram convidados outros potenciais candidatos. Foi o caso de Viana do Castelo, que não marcou presença, mas afirmou estar interessada em futuros encontros.

Aveiro, por seu lado, indicou que não poderia estar presente e Ponta Delgada não deu qualquer resposta ao convite, segundo a organização. Cascais e Viseu, por seu lado, assumiram não serem candidatos a Capital Europeia da Cultura 2027.