Valor médio de avaliação bancária de habitação na Madeira diminuiu face ao mês anterior

No entanto, aumentou em termos homólogos

28 Jan 2020 / 16:46 H.

De acordo com os dados hoje disponibilizados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), em Dezembro de 2019, o valor médio de avaliação bancária de habitação na Região Autónoma da Madeira (RAM) fixou-se em 1 413 euros/m2, tendo registado um decréscimo de 1,2% em relação ao mês precedente e um aumento de 5,4% face ao mesmo mês do ano anterior.

“Nos apartamentos, o valor médio de avaliação bancária na RAM foi de 1 445 euros/m2, registando uma variação de +0,1% comparativamente a novembro de 2019 e de +6,6% face ao mês homólogo. Nas moradias, este indicador situou-se nos 1 372 euros/m2, inferior em 2,9% ao valor observado em novembro de 2019 e superior em 3,6% face ao valor do período homólogo”, refere.

Adianta que o valor médio de avaliação bancária no Funchal, em dezembro de 2019, situou-se nos 1 620 euros/m2, atingindo os 1 656 euros/m2 nos apartamentos e os 1 551 euros/m2 nas moradias, o que representou variações mensais de -0,4%, +1,4% e 3,9% e variações homólogas de +6,8%, +4,8% e +8,8%, respectivamente.

Acrescenta ainda que o valor médio de avaliação bancária no País registou um aumento de 0,7% face a novembro 2019, fixando-se em 1 321 euros/m2. A variação homóloga foi de +8,3%. Os valores mais elevados foram observados no Algarve (1 742 euros/m2), na Área Metropolitana de Lisboa (1 639 euros/m2), surgindo, na 3.ª posição, a RAM (1 413 euros/m2).

Valor médio de avaliação bancária na RAM cresceu abaixo da média nacional em 2019

Refere também que no ano de 2019, o valor médio de avaliação bancária subiu para 1 385 euros/m2, significando um acréscimo de 5,2% face a 2018 (1 316 euros/m2). Considerando a natureza de alojamentos, em 2019, o valor médio de avaliação aumentou 5,3% nos apartamentos e 5,1% nas moradias, para valores na ordem dos 1 414 euros/m2 e 1 346 euros/m2, respectivamente (1 343 euros/m2 e 1 281 euros/m2, em 2018). A nível do país, o crescimento face a 2018 foi de 7,9% no global, atingindo os 9,5% nos apartamentos e os 5,2% nas moradias. Algarve (+10,9%) e Norte (+8,7%) foram as regiões com os maiores aumentos, em contraponto com as Regiões Autónomas dos Açores e Madeira, onde a subida deste indicador foi menos pronunciada (+5,4% e +5,2%, respectivamente).

Atendendo à série temporal disponível, observa-se que o valor médio de avaliação bancária na Região está em crescimento desde 2015, sendo que o valor de 2019 é o mais elevado desde 2012.