Rotary Machico-Santa Cruz celebrou 36 anos e homenageou fundador

19 Jan 2020 / 11:49 H.

O Rotary Machico-Santa Cruz celebrou ontem o seu 36.º aniversário numa cerimónia que contou com cerca de 80 profissionais, de diversas áreas. O jantar festivo teve por mote os valores da amizade, do companheirismo e da elevação de qualquer profissão útil, bem vincado pelo movimento rotário.

O momento serviu também para prestar uma homenagem profissional a Simplício Silva, fundador do Rotary Club Machico-Santa Cruz. Antes, Victor Calado, Director do Santander Madeira e Açores proferiu uma palestra sobre ‘Os requisitos e as competências de um bom profissional para uma organização’, tendo colocado à reflexão dos presentes os desafios do Mundo, da sociedade e das organizações. Vincou que “numa organização os valores, a missão, o assumir dos objectivos e a intervenção social e cívica dos seus profissionais desempenham um papel cada vez mais importante num mercado de trabalho em mudança”.

Já o presidente do Clube, António Trindade, vincou o papel do Rotary Machico-Santa Cruz nos 36 anos de existência. “Desde 1984, o Rotary tem pautado a sua actuação no companheirismo de profissionais das mais diversas áreas que comungam de valores altruístas e tem beneficiado a comunidade onde se insere, nos mais variados âmbitos, designadamente no financiamento de bolsas de estudo a alunos do secundário e do ensino superior, no estabelecimento de parcerias com instituições sociais, em donativos de géneros a famílias carenciadas, na doação de carrinhas, camas articuladas, cadeiras de rodas e outros equipamentos a escolas e lares, para além das responsabilidades da organização a nível mundial”, referiu.

O Presidente do Clube enalteceu a presença dos que demonstraram interesse em juntar-se aos festejos e desafiou a plateia de profissionais “a doar um pouco do seu tempo e do seu saber a causas humanitários e promover a tolerância num mundo cada vez mais individualista” uma vez que a melhor realização pessoal é a de “contribuir, fazer, agir e ficar em Paz”.

Simplício Silva foi reconhecido pelo seu papel no movimento rotário mas também por ter tido uma carreira profissional de elevado mérito, tendo desempenhado diversas funções ligadas às artes gráficas na região e no País.