Extracção de inertes “sem licença e sem acompanhamento é um escândalo”, diz Paulino Ascenção

21 Jul 2019 / 14:49 H.

Paulino Ascenção, Coordenador do Bloco de Esquerda / Madeira, reagiu à manchete de hoje do DIÁRIO sobre a extracção selvagem nos socorridos. O ‘bloquista’ disse que “a extracção de inertes na Ribeira dos Socorridos sem licença e sem acompanhamento é um escândalo e mais uma situação que mostra a impunidade que reina na Madeira”.

“Os grandes empresários regionais fazem o que querem e bem entendem à vista de todos e o Governo do PSD vem sempre branquear a situação, ou assobiar para o lado”, diz, acrescentando que “se fosse um particular a recolher os inertes teria mão pesada do Governo Regional”.

De acordo com Paulino Ascenção, “um amador para pescar tem de pedir licença e pagar a taxa” e “será punido se capturar acima da medida regulamentar”.

“Mas o Governo Regional, sem vergonha, acobarda-se perante estes novos senhorios da Madeira, que são quem manda de facto na Madeira”, sustenta.

Segundo o ‘bloquista’, estes grandes grupos “beneficiam sempre de tratamento de excepção” e “as regras só se aplicam à arraia miúda”.

“As listas de grandes devedores ao fisco e à Segurança Social não são publicadas na Madeira; Os PDM’s a eles não se aplicam (veja-se o Savoy) nem as zonas de protecção ambiental (Quinta do Lorde); beneficiam de ajustes directos milionários (renovação da concessão do CINM ou ferry, por ex:) estão acima da Lei. Quando o PSD abre a boca para dizer que defende a Madeira, é falso, são estes grupos que está a defender”, aponta.

No seu entender, as eleições de Setembro são tão importantes, porque “são a oportunidade para rompermos com a subserviência do Governo a certos interesses privados, mas essa mudança não se fará com os partidos que estão comprometidos com os mesmos interesses”.

“O Bloco de Esquerda é a escolha certa para acabar com as práticas do PSD, quanto mais força tiver mais fundas serão as mudanças que poderemos fazer”, concluiu.

Outras Notícias