Divergências no descongelamento de carreiras dos enfermeiros “são pontuais” e serão “resolvidas”

19 Ago 2019 / 15:54 H.

À margem da assinatura do acordo de cooperação entre o Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira (SESARAM) e o Instituto de Segurança Social da Madeira, que decorreu, há pouco, no salão Nobre do Governo Regional, o secretário regional da Saúde, Pedro Ramos, garantiu que são pontuais as divergências verificadas pelos sindicatos quanto ao descongelamento e progressão da carreira dos profissionais, frisando ainda que prontamente serão resolvidos.

Em resposta às questões colocadas pelos jornalistas, quanto as queixas apresentadas pelos sindicatos dos enfermeiros, nomeadamente quanto a contagem de 2004 para efeitos de descongelamento e progressão da carreira, Pedro Ramos assegurou que “são questões de pormenor, que num ou noutro caso poderão ter que ser resolvidas com reuniões acrescidas entre o SESARAM e os sindicatos”.

O responsável diz mesmo que “não há motivos para preocupação”, acrescentando que “o descongelamento de carreiras dos enfermeiros, uma responsabilidade do Governo Regional, é um acto extremamente importante para a nossa Região, para um grupo profissional que na área da Saúde tem uma importância acrescida e, naturalmente, que foi um protocolo assumido com seriedade e responsabilidade por uma entidade que tem que ser respeitada, que é o Governo Regional e pelas três associações sindicais que representaram os enfermeiros”.

Pedro Ramos sublinhou ainda que “este protocolo beneficia 1555 enfermeiros, se há qualquer situação que precisa de ser analisada mais em pormenor, isto não fere o objectivo e o alcance do protocolo”.

“E naturalmente se houver uma outra situação em 1555 enfermeiros, essa situação será resolvida através dos sindicatos e do SESARAM e julgo que não há qualquer motivo, neste momento, para pôr em causa um protocolo que é único no país”, concluiu.