Disney recontrata realizador James Gunn para novo “Guardiões da Galáxia”

19 Mar 2019 / 02:11 H.

O realizador James Gunn vai voltar aos comandos do filme “Guardiões da Galáxia Vol. 3”, menos de um ano depois de ter sido despedido pelo ressurgimento de antigos ‘tweets’ considerados ofensivos pelo estúdio, segundo a imprensa especializada.

De acordo com o ‘site’ Deadline no final da semana passada, o presidente dos estúdios Walt Disney, Alan Horn, voltou atrás na decisão depois de vários encontros com Gunn e do seu pedido público de desculpas.

“As minhas palavras de há quase uma década atrás foram, na altura, um fracasso total e esforços infelizes para serem provocatórias. Eu lamento os ‘tweets’, não apenas porque eram estúpidos, mas porque não eram engraçados, eram selvagens e insensíveis, e certamente não tão provocadores como eu esperava, mas também porque eles não refletem a pessoa que eu sou hoje ou tenho sido há algum tempo”, escreveu o cineasta no Twitter, em julho de 2018.

Depois da publicação da notícia, Gunn publicou uma declaração no Twitter, a agradecer a todos aqueles que o apoiaram nos últimos meses e a saudar a decisão da Disney.

O estúdio tinha colocado o filme em espera, embora o produtor, Kevin Feige, mantivesse a intenção o fazer.

No entanto, após o incidente, a Warner Bros. contratou James Gunn para escrever e dirigir o filme “Esquadrão Suicida”, com lançamento em agosto de 2021, e os estúdios Marvel -- parte da Disney - terão agora de esperar pelo final das gravações do mesmo.

“Estou sempre a aprender e continuarei a trabalhar para ser o melhor ser humano que posso ser. Eu aprecio profundamente a decisão da Disney e estou animado para continuar a fazer filmes que investiguem os laços de amor que nos unem a todos”, acrescentou o Gunn na sexta.

O primeiro filme “Guardiões da Galáxia” estreou-se em 2014, faturando mais de 773 milhões de dólares em todo o mundo, e o segundo, estreado em 2017, arrecadou mais de 863 milhões de dólares.

Tópicos