Sessenta pessoas morreram por raiva canina em Moçambique no primeiro semestre de 2017

29 Set 2017 / 14:44 H.

Perto de 60 pessoas morreram devido à raiva canina no primeiro semestre deste ano em Moçambique, anunciou o director nacional de Veterinária.

“A raiva constitui uma grande preocupação para o Governo. Os números revelam isso”, anunciou o director nacional de Veterinária, Américo Conceição, citado hoje pela imprensa moçambicana.

Aquele responsável falava por ocasião do Dia Mundial da Luta Contra a Raiva, que se assinalou na quinta-feira e que coincidiu com a inauguração de novos canis no Hospital Veterinário em Maputo.

De acordo com dados oficiais, em média, a raiva mata 50 pessoas por ano em Moçambique.

Para Américo Conceição, na luta contra à raiva é indispensável o envolvimento das comunidades.

Aquele responsável referiu que as autoridades veterinárias esperam vacinar 300 mil cães em todo país, no âmbito de uma campanha que decorre até o final deste mês.

“Só desta forma podemos atingir os objectivos, que passam por acabar com a raiva transmitida por cães e gatos até 2030”, declarou.

As províncias de Maputo, Inhambane (sul), Zambézia (centro) e Cabo Delgado (norte) são as mais afectadas por casos de raiva em Moçambique.

Outras Notícias