Paulo Cafôfo com maioria absoluta

Sondagem encomendada pelo DIÁRIO dá seis mandatos à ‘Confiança’

20 Jul 2017 / 20:17 H.

Se as Autárquicas fossem hoje, Paulo Cafôfo voltava a ganhar as eleições no Funchal e a coligação ‘Confiança’ teria maioria absoluta. Uma vitória com valor acima dos 40% e que pode render seis mandatos.

Estas são algumas das linhas fortes do estudo de opinião encomendado pelo DIÁRIO e pela TSF-Madeira à Eurosondagem, que revelaremos em pormenor na edição imprensa de amanhã. Uma sondagem feita na semana passada, mais propriamente entre 12 e 14 de Julho que implicou 825 tentativas de entrevistas. Destas 117 (14,2%) não aceitaram colaborar, sendo validadas 708 entrevistas.

A menos de três meses do sufrágio autárquico damos conta como estão posicionadas as já assumidas sete candidaturas à Câmara Municipal do Funchal e também revelamos que 15,3% dos funchalenses revelaram para já não saber em quem votar ou simplesmente não responderam à questão.

O erro máximo da amostra é de 3,67%, para um grau de probabilidade de 95% e, como é norma, o estudo está já depositado na Entidade Reguladora para a Comunicação Social.

No primeiro estudo rumos às Autárquicas de 1 de Outubro, publicado a 19 Janeiro deste ano, na altura com 16,3% de indecisos, na distribuição dos onze mandatos em disputa no Funchal, a lista liderada por Paulo Cafôfo, com 48% na projecção, poderia vir a ser responsável por 6 a 7 mandatos, enquanto que o PSD encabeçado por Rubina Leal, com 25,8%, teria ao seu alcance 3 a 4 lugares. Rui Barreto, com 8,7%, seria o único vereador centrista. Na altura, Artur Andrade e Gil Canha corriam o risco de não ser reeleitos.

Em 2013, num sufrágio em que se registou 49,5% de abstenção, a então coligação ‘Mudança’, composta por PS-BE-PND-MPT-PTP-PAN venceu no Funchal com 39,2%, o que lhe garantiu cinco mandatos. A lista liderada por Paulo Cafôfo foi seguida do PSD com 32,4%, que renderam 4 mandatos, do CDS com 14,5% e da CDU com 8,3%, ambos com um mandato.

Tópicos

Outras Notícias