Mórmons portugueses deixam de ter que ir a Espanha casar

Lisboa /
07 Ago 2019 / 02:22 H.

Os membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, mais conhecidos como mórmons, já não precisam de ir até Espanha para casar ou celebrar ‘selamentos’, agora que a comunidade vai inaugurar o primeiro Templo em Portugal.

O Templo é inaugurado a partir da próxima semana, com uma visita aberta à comunicação social no dia 13 de agosto, mas a sua idealização remonta a 2010, ano em que começou a ser planeada a compra dos terrenos necessários à construção dos dois edifícios, o Templo e a Capela.

Em declarações à agência Lusa, Francisco Paulo Adriano, da equipa de Portas Abertas do Templo de Lisboa, explicou que desde o plano inicial da construção até à inauguração “tudo correu dentro do previsto”.

“Tínhamos previsto entre dois anos e meio, três anos, para a construção, e até ficou um bocadinho antes tudo pronto”, referiu.

De acordo com Francisco Adriano, o projeto integra os dois edifícios e uma área de jardins, com dois hectares, sendo que cada um dos edifícios tem diferentes funções.

“O edifício que nós chamamos de capela é utilizado ao longo da semana, com atividades e reuniões, que nós chamamos reuniões de adoração, ao domingo, é um edifício como muitos que nós temos espalhados pelo país”, começou por explicar.

“O Templo é um edifício especial. É o primeiro em Portugal. Até agora, o Templo mais perto era em Madrid e no Templo é onde realizamos as cerimónias religiosas, por exemplo, o casamento. Por isso tem este significado especial porque é para os participantes da igreja realizarem estas cerimónias e é só neste edifício que elas são feitas”, acrescentou.

Significa isso que até agora, quando havia necessidade de celebrar uma cerimónia, nomeadamente o casamento, os membros da igreja tinham de ir a Madrid, algo que sucedeu desde 1999, porque antes disso tinham de ir à Suíça, onde ficava na altura o templo mais próximo, referiu Francisco Adriano.

O mesmo responsável adiantou que no Templo “o foco principal é a adoração a Jesus Cristo” e que a cerimónia do casamento é “a mais especial”, mas não é a única, destacando também o ‘selamento’, uma cerimónia de família, que representa a união entre os membros da família.

“Outra coisa que é feita dentro do Templo é instrução, há sessões onde são feitos compromissos de aprendizagem e de devoção e de adoração e é também um local de oração, meditação e de busca de inspiração para os desafios do dia-a-dia”, apontou.

De acordo com o responsável, o Templo terá capacidade para cerca de 500 pessoas, enquanto a Capela poderá receber à volta de 800, sendo que, neste caso, o espaço é multiúsos e poderá ser alugado e utilizado por toda a comunidade e não só pelos membros da igreja.

Outro local que também será de uso público é os jardins, com dois hectares, “mais de 300 árvores e milhares de flores, e fontes”, que “estará sempre aberto para as pessoas utilizarem, passearem”.

Questionado sobre o valor total da obra, Francisco Adriano disse desconhecer, mas adiantou que os fundos são todos da igreja, sem qualquer apoio governamental, vindos dos donativos dos membros espalhados por todo o mundo.

No dia 13 de agosto, a primeira cerimónia pública, a apresentação à comunicação social será para levar os jornalistas a conhecer o espaço, sendo uma “ocasião única” para visitar o interior do Templo, já que a partir de setembro será de acesso apenas aos membros da igreja.

Depois do dia 13 haverá um período de portas abertas, até dia 06 de setembro, durante o qual todos poderão visitar os edifícios, ver todas as salas e perceber o que é feito em cada uma das salas, através de uma visita guiada.

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias está em Portugal desde 1975 e conta, atualmente, com cerca de 45 mil membros, dispersos por 72 congregações. No país há 44 capelas.

Tópicos

Outras Notícias