Apoios atrasados, tráfico de pessoas e mais nascimentos nas maiores dos jornais

Morte da menina nas urgências do Hospital D. Nélio Mendonça, a moção contra Joacine e o caso do ‘hacker’ Rui Pinto são outros temas chamados às capas

14 Jan 2020 / 09:52 H.

Apoios a deficientes atrasados dois anos, revelam as letras maiores da capa do JN. A maioria dos processos de 2019 continua pendente. Com grande mancha, o caso de Rui Pinto. Acesso a e-mails passa de ilegítimo a indevido. A decisão se o ‘hacker’ vai ou não a julgamento está marcada para sexta-feira. Chamada também para a morte da menina madeirense, e para os 1.400 que se reformaram na Saúde.

Juíza recusa denúncias de pirata, foi a notícia colocada em manchete no Correio da Manhã. O diário revela que foi recusado o estatuto de colaboração a Rui Pinto. A imagem principal é de Bruno Fernandes, que está a caminho do Manchester United. “Sporting força Bruno contra Benfica”. O caso da menina de oito anos que morreu domingo nas urgências do Hospital Dr. Nélio Mendonça está igualmente neste jornal.

O tráfico de pessoas faz manchete no Diário de Notícias. 434 crimes e 45 penas de prisão em dez anos, entre 2008 e 2018. O crime é difícil de provar, acrescenta. ‘Jocker’ e os outros nomeados estão na edição, num artigo sobre as apostas dos críticos do DN para os prémios Oscar deste ano. A imagem mostra William e Harry lado a lado. “Destinos cruzados dos filhos de Diana”. “Dois príncipes, um que vai ser rei, outro que quer ser ele próprio”. Ainda na mais nobre, o caso do menino adepto de Ronaldo. “De sobrevivente do tsunami a celebridade social”, resume a chamada. Martunis com sete anos sobreviveu ao tsunami de 2004 na Indonésia. Foi encontrado apenas vestindo uma camisola da Selecção Portuguesa de Futebol. Ronaldo visitou-o no ano seguinte e prometeu apoio, tendo os dois desenvolvido uma amizade. O jovem espera agora que o madeirense marque presença no seu casamento. No Livre, Joacine confrontada com a decisão de renunciar ou passar a independente.

O tema está em maior no i. “Livre quer expulsar Joacine do Parlamento”. Autores defendem que a deputada levou à degradação da imagem pública e da credibilidade do partido”. Natalidade sobre pelo segundo ano consecutivo. Bragança teve a maior subida, Lisboa e Setúbal foi onde nasceram mais crianças. “Famílias vão ter ajuda para pagar creche a partir do segundo filho”, revela o jornal. Em entrevista, Teresa Andersen, arquitecta paisagista e engenheira agrónoma, vencedora da primeira edição do Prémio Gonçalo Ribeiro Telles. Aqui também o caso da menina de Machico que faleceu nas urgências no Funchal.

O Público destaca a nova CP - Comboios de Portugal, distribuída pelo país e dividida em operação e manutenção e engenharia. Na imagem, uma reportagem sobre a suspeita de tráfico de pessoas na igreja evangélica. O jornal dá espaço de capa também aos nascimentos, que subiram 5% nos últimos cinco anos, ao filme ‘Jocker’ e ainda aos oceanos, que nunca foram tão quentes na história humana como no ano passado.

“Como produzir a sua própria energia” é a manchete do Negócios, que traz um guia para aproveitar as vantagens do autoconsumo. Impostos e saúde dominam propostas de alteração ao Orçamento de Estado, é outra notícia que mereceu destaque. Em grande, “Governo ainda sem plano para aproveitar fundo para a Transição Justa”. O mecanismo criado para apoiar a transição energética é apresentado hoje.

Andreas Pereira entra no negócio de Bruno Fernandes. O internacional brasileiro pode chegar ao Sporting por empréstimo, revela A Bola. O Record escreve sobre a lesão de outro jogador do clube de Alvalade: “Vietto KO”. O argentino vai falhar o dérbi e a Taça da Liga. Já O Jogo dá cobertura a Diaz, que é o extremo mais rápido de sempre a chegar aos dez golos. O colombiano do FC Porto insiste nos recordes, diz o desportivo. O treinador Sérgio Conceição declarou: “Este é o ano em que fico mais satisfeito com o plantel”. O jornal dá espaço a uma entrevista com Rui Silva, da Selecção Portuguesa de Andebol.