Só vamos lá com clusters do mar

No painel “Oportunidades na economia azul: potencial da Região Autónoma da Madeira” ficou claro que sozinhos será muito difícil criar valor e economia de escala

12 Jan 2019 / 17:52 H.

Num debate com profissionais que estão já a desenvolver projectos no mar, o painel “Oportunidades na economia azul: potencial da Região Autónoma da Madeira” juntou Rui Azevedo, secretário-geral do Fórum Oceano, Jitendra Tuicidas, vice-presidente dos Amigos da Nova Rota da Seda e consultor de negócios para a China e Macau e ainda Artur Costa da Offshore Business Developer do CEiiA.

Os palestrantes mostraram o que andam a fazer, mas também as suas aplicações no mar, criando produto de valor acrescentado e encontrar investidores capazes de financiar esta cadeia e encontrar de forma pragmática as oportunidades do mar.

Numa ilha e cujos principais vizinhos também têm potencialidades no mar, ficou claro que só será possível criar valor aproveitando as sinergias. Também se defendeu que as ilhas devem ser aproveitadas como zonas de experimentação, zonas piloto, com entidades catalisadoras onde se possa testar os projectos e depois lança-los a uma escala muito maior.

Ficou claro que, ainda que haja bons projectos, sozinhos no meio do oceano, dificilmente será possível criar valor, criar uma economia de escala e isso é possível com a criação de clusters do mar. Resumindo, a Madeira tem várias potencialidades no mar, tem uma vantagem que é a proximidade do mar profundo junto a terra o que permite estudar mais proximamente as riquezas marítimas que nos rodeiam.

Outras Notícias