PSD diz estarem reunidas condições para Albuquerque ser indigitado presidente do Governo Regional

08 Out 2019 / 17:05 H.

O secretário-geral do PSD/Madeira, José Prada, disse hoje, à saída de uma audiência com o representante da República, estarem reunidas as condições para o líder do partido ser indigitado presidente do Governo Regional para os próximos quatro anos.

O representante da República para a Região Autónoma da Madeira, Ireneu Barreto, recebeu hoje delegações do PSD (Pedro Calado, Jaime Filipe Ramos e José Prada) e do CDS (Rui Barreto, José Manuel Rodrigues e Teófilo Cunha), momentos antes da audiência com Miguel Albuquerque, que deverá ser convidado a formar governo.

As reuniões decorreram no Palácio de São Lourenço, no Funchal.

O secretário-geral do PSD/Madeira, José Prada, disse à comunicação social, depois de ratificado na segunda-feira pela Comissão Política e pelo Conselho Regional do PSD/Madeira e hoje assinado o acordo político entre PSD e CDS, estarem reunidas “as condições para o presidente do PSD/Madeira ser indigitado presidente do Governo Regional para os próximos quatro anos, ou seja, o dr. Miguel Albuquerque vai ser indigitado futuro presidente do Governo”.

“Estão reunidas as condições que o PSD sempre lutou, ou seja, a estabilidade e o desenvolvimento da Madeira”, disse.

Rui Barreto, presidente da estrutura regional do CDS/Madeira, revelou, por seu lado, ter transmitido ao representante da República que o CDS e o PSD tinham ratificado o acordo político e de princípios entre os dois partidos.

“Um acordo firme de relacionamento entre o PSD e o CDS, um acordo para constituição de um governo de coligação, estável para os próximos anos e, portanto, culminado este percurso, oferecemos a garantia ao senhor representante da República que, da parte do CDS, nós estamos confortáveis e estamos preparados para o exercício das funções governativas”, observou.

O PSD venceu em 22 de setembro as eleições legislativas regionais, mas, pela primeira vez, sem maioria absoluta, elegendo 21 dos 47 deputados do parlamento regional.

O CDS conseguiu três mandatos, pelo que os dois partidos coligados somam 24 parlamentares, número necessário para uma maioria absoluta.

Outras Notícias