Protecção Civil do Porto Santo realizou simulacro à escala total

03 Dez 2019 / 15:32 H.

O Porto Santo viveu, esta segunda-feira, um simulacro à escala total, com um cenário fictício de mau tempo, com ventos e chuvas durante quatro dias.

O cenário teve quatro situações em simultâneo em vários pontos distintos (porto de abrigo perto da EEM, junto dos poços da FAP, barragem do sítio do Tanque e na Serra junto ao Pico do Facho), o que se veio a traduzir em vários danos a nível terrestre, causando inúmeros episódios catastróficos, como inundações, derrocadas, entre outras situações, tendo também causado várias complicações ao nível da população local com duas vítimas mortais e muitos feridos, alguns dos quais em estado grave.

Artur Oliveira, coordenador da Protecção Civil da Câmara Municipal do Porto Santo, salientou ao DIÁRIO, que este exercício envolveu cerca de 40 operacionais, sendo este um cenário que pode acontecer e, por isso, é necessário estarem preparados.

“Este simulacro serve igualmente para testarmos todo um conjunto de planeamento que temos feito ao longo do ano”, afirmou.

Este exercício teve várias entidades envolvidas, desde os BVPS, PSP, GNR, Polícia Florestal e o serviço regional de protecção civil, bem como vários profissionais do serviço de socorros do aeroporto do Porto Santo.

“Este exercício foi uma mais-valia. Em traços gerais, tudo decorreu dentro das expectativas, mas mesmo assim temos de melhorar em vários aspectos. Agora em sede de comissão vamos chegar a um relatório final”, concluiu.