Novo governo regional poderá ser anunciado no próximo fim-de-semana

08 Out 2019 / 13:49 H.

O presidente da estrutura regional do PSD/Madeira, Miguel Albuquerque, disse hoje que o XIII Governo Regional deverá ser anunciado este fim de semana, mas “cada coisa tem o seu tempo”.

“Penso que já este fim de semana eu e o dr. Rui Barreto estaremos em condições para apresentar o governo”, disse à margem da assinatura do acordo político entre o PSD e o CDS.

Afirmando que “cada coisa tem o seu tempo”, Miguel Albuquerque frisou que “este é um processo de responsabilidade que tem etapas, primeiro foi a elaboração e a assinatura do acordo, agora passamos à fase de constituição do governo”.

O líder do PSD/Madeira salientou que não confirma “nada” do que vem sendo anunciado, nomeadamente duas secretarias e a presidência da Assembleia Legislativa para o CDS.

“Não confirmo nada, irá ser anunciado no seu devido tempo, não vou falar nisso agora”, referiu.

Miguel Albuquerque revelou ainda que o PSD e o CDS serão recebidos esta tarde pelo Representante da República.

“Tudo indica que ma vai indicar para a constituição do Governo e iremos fazer esse trabalho”, disse.

O presidente da estrutura regional do CDS/Madeira, Rui Barreto, também referiu que, a seu tempo, o presidente do PSD e presidente do Conselho do Governo “vai apresentar o elenco governativo”.

Entretanto, o líder do CDS/Madeira, após as reuniões da Comissão Política e do Conselho Regional realizadas na segunda-feira, anunciou aos jornalistas que o partido tem confirmado duas secretarias e “um lugar de relevo na Assembleia Regional”.

O projeto começou a desenhar-se na noite das eleições regionais, em 22 de setembro, depois de o PSD/Madeira, liderado por Miguel Albuquerque, ter perdido pela primeira vez a maioria absoluta que sempre deteve na região, ao eleger 21 dos 47 deputados que compõem a Assembleia da Madeira.

Nas eleições legislativas na Madeira de 22 de setembro, o PSD ganhou sem maioria absoluta razão pela qual teve de se coligar com o CDS.

O PSD venceu as eleições legislativas na Madeira, mas perdeu a maioria absoluta com que sempre governou a região autónoma, obtendo 56.449 votos e a eleição de 21 deputados, razão pela qual teve de se coligar com o CDS.

A abstenção cifrou-se em 44,40% (114.805 eleitores).

Outras Notícias