Jorge Carvalho termina mandato com “noção do dever cumprido”

11 Set 2019 / 16:20 H.

A recuperação do tempo de serviço congelado aos professores, foi a primeira referência de Jorge Carvalho, no discurso que encerrou a sessão de abertura do ano lectivo 2019/2020 que decorreu, esta manhã, na Escola Secundária Jaime Moniz.

O secretário regional da Educação aproveitou para fazer um balanço aos quatro anos e meio do mandato que está a terminar, garantindo que chega ao fim com a clara “noção do dever cumprido”.

A recuperação do tempo de serviço dos professores, que decorrerá até 2025, contrasta com o que se verifica ao nível nacional, onde apenas um terço do tempo congelado poderá ser recuperado. Neste momento, na Madeira, quase 3.000 professores já estão reposicionados na carreira.

Jorge Carvalho abordou a questão das fusões de escolas, garantindo que os critérios foram claros, nomeadamente a não existência de turmas com alunos de níveis diferentes de ensino. “Foram decisões acertadas”, afirmou, perante uma plateia composta, sobretudo, por presidentes dos conselhos executivos das escolas da Região.

A construção das novas escolas do Porto Santo e da Ribeira Brava e a renovação do parque informático que terminará este mês, foram outras referências na intervenção do secretário regional da Educação.

Apostas nas ‘salas do futuro’ - a primeira foi instalada na Escola do Galeão - kits de programação e robótica e as ‘turmas+’, foram medidas destacadas ajudam a explicar os resultados positivos dos alunos. Este ano, os alunos do 5º ano vão ter manuais digitais e tablets, noutra aposta na inovação.

Ao longo destes quatro anos e mio aumentaram, de forma significativa os projectos Erasmus+, que já são mais de 50 e representam uma verba global de mais de 7 milhões de euros e os apoios sociais foram alargado, permitindo que 66% dos alunos sejam abrangidos. A par destas medidas, foi reduzida a mensalidade das creches em 40%, bem como o preço dos passes escolares.

Os resultados escolares também deixam Jorge Carvalho satisfeito. As taxas de aprovação dos alunos aumentaram muito e no 9º ano atingiram os 95%. O número de alunos a terminar o secundário aumentou e o “abandono escolar é residual ou quase inexistente”.

O ano lectivo 2019/2020 começa com as novidades dos manuais digitais e com o facto de mais de uma dezena de estabelecimentos de ensino terem aderido ao sistema de dois semestres de avaliação. São cerca de 42 mil alunos e 6.300 professores que iniciam um ano lectivo em que nãos e prevê qualquer encerramento de escolas.

A sessão de abertura do ano escolar decorreu na Escola Secundária de Jaime Moniz e contou com a actuação de um quinteto de alunos do 3º ano do Curso Profissional de Jazz do Conservatório.