Habitações é dos problemas mais graves do Funchal, diz Edgar Silva

21 Ago 2019 / 11:40 H.

Edgar Silva, pela CDU, discursou tocando em vários pontos nevrálgicos. Entre eles, os que considera como desafios importantes da cidade do Funchal: Como lidar com o progressivo aumento da população urbana, foi das primeiras perguntas que deixou, justificando com alguns números: desde 2011, a população do Funchal aumentou 7,6% e o números de famílias 22,2%. E o maior crescimento deu-se nas freguesias de Santo António, São Martinho e Sé.

Edgar Silva mencionou ainda, entre outros, que o problema da falta de habitação é dos mais graves da cidade, e nas habitações que existem, as más condições de salubridade, além da multiplicação de habitações nas zonas altas.

Edgar Silva rematou o discurso com uma vontade, a da sustentação da “democracia plena”.

Logo depois subiu ao palco Gonçalo Pimenta, deputado municipal pelo CDS, que depois de sublinhar que esta quarta- feira é dia de comemorar a cidade, apontou o dedo a Paulo Cafôfo por ter abandonado o mandato como presidente da CMF, e criticando “os 200 mil euros gastos num só espectáculo” que podiam ter sido aplicados em vários projectos.

Gonçalo Pimenta questionou ainda: “Quantos projectos foram aprovados para reabilitação, em seis anos, na cidade do Funchal?”, sublinhando ainda a existência de 3.500 casas clandestinas ou o abandono do projecto do matadouro.

Outras Notícias