Emanuel Câmara garante que tudo fez pelo funcionamento da delegação dos bombeiros no Porto Moniz

14 Mar 2019 / 21:05 H.

As declaração de Dinarte Nunes, vereador do PSD na Câmara Municipal do Porto Moniz, merecerem reparos, desta feita por parte do presidente da autarquia. Emanuel Câmara garante que “desde que a Câmara Municipal de Porto Moniz passou a ser liderada por este executivo tudo se fez para que a delegação dos Bombeiros existente neste concelho, que estava inactiva por inércia e com o consentimento de sucessivos executivos do PSD, passasse a funcionar em pleno, com a devida alocação de recursos materiais e humanos”.

Numa longa nota enviada à imprensa, o autarca “concorda em pleno com o vereador Dinarte Nunes, quando este refere que «o facto de as pessoas não serem assistidas atempadamente, poderá constituir uma agravante nos casos de doenças súbitas ou agudas. Porque nestas situações quanto mais depressa a pessoa for socorrida maior é a possibilidade de sucesso na prestação dos cuidados de saúde»”. “É precisamente por essa razão que continuamos a condenar o encerramento compulsivo do Serviço de Urgências neste concelho, por decisão dos sociais-democratas. É precisamente por essa razão que nos indigna o chumbo, por parte do PSD, da proposta de funcionamento de uma Unidade da EMIR na costa norte”, atira Emanuel Câmara.

O presidente da Câmara Municipal esclarece que, “por iniciativa deste executivo, procedeu-se a um reforço da verba transferida para a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de São Vicente e Porto Moniz, passando a mesma da ordem dos 6.000,00€/mês para os 10.000,00€/mês”. “Cientes de que os meios humanos se tornam efectivamente eficazes quando complementados com os necessários equipamentos, foi adquirida, com verbas do orçamento camarário, uma ambulância de socorro-Tipo B (ABSC), no valor de 91.994,16€, disponibilizada à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de São Vicente e Porto Moniz, através de protocolo de cedência, e colocada ao serviço da população, tendo como tripulantes bombeiros sediados no concelho”, acrescenta.

“É falso que “O executivo socialista da Autarquia do Porto Moniz não reforçou as verbas dos Bombeiros Voluntários do Porto Moniz e de São Vicente”. A bem da verdade, importa realçar que a verba protocolada em 2018, no montante total de 120.000,00€/ano, após reuniões mantidas entre os executivos dos concelhos de Porto Moniz e São Vicente, que, juntamente com o Governo Regional, partilham a responsabilidade de assegurar condições para o funcionamento da Corporação, foi efectivamente actualizada, pelos dois municípios, na devida proporção, no ano 2019, passando a contribuição deste concelho a fixar-se no montante de 126.384,00€/ano”, explica.

“A consequente actualização da verba a transferir através de protocolo foi aprovada em reunião de Câmara, de 29 de janeiro de 2019, sendo o protocolo em questão assinado a 30 de janeiro de 2019, com efeitos ao início do ano, tendo-se já procedido às transferências respeitantes aos meses de janeiro e fevereiro”, diz.

“A verdade dos factos é facilmente comprovada, não só pelo Exmo. Sr. Presidente da Direcção da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de São Vicente e Porto Moniz, que assinou o protocolo em representação da referida associação, bem como pelo Exmo. Sr. Comandante da Corporação que já veio desmentir as declarações proferidas pelo vereador do partido social-democrata”, relembra Câmara.

No que diz respeito aos salários, o autarca do Porto Moniz esclarece que, com o entendimento entre os autarcas destes dois concelhos, no decorrer do ano 2018, foram uniformizados os salários dos bombeiros desta Corporação, “sendo que para tal a Câmara Municipal do Porto Moniz contribuiu com uma comparticipação financeira no valor de 15.342,74€, correspondente a 40% do montante necessário para tal, sendo os restantes 60% assegurados pela Câmara Municipal de S. Vicente”.

“O vereador Dinarte Nunes diz-se surpreendido por o executivo do partido socialista chumbar a proposta do PSD de reforço das verbas a transferir pela Câmara Municipal de Porto Moniz à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de São Vicente e Porto Moniz. O que na verdade surpreende é que os protocolos que vigoram em 2019 nesta autarquia não sejam do conhecimento do vereador social-democrata. Depressa descobrirá que ser autarca, ainda que na oposição, requer sempre preparação e estudo dos dossiês, em prol da prestação de um verdadeiro serviço à população”, atira.

“É de lamentar que se enverede por formas de fazer política que colocam em causa o bom nome das instituições e de quem as representa e que visam grupos profissionais cujo trabalho este executivo tem procurado salvaguardar e reconhecer”, conclui Emanuel Câmara.

Outras Notícias