Deputado do PS-Madeira visado em escândalo sexual entrega à PJ nomes ligados ao partido

PJ está a investigar autoria de crime de devassa da vida privada por meio informático; Vídeo posto a circular agora foi gravado há mais de dois anos

13 Dez 2018 / 14:40 H.

O deputado do PS-M na Assembleia Legislativa da Madeira (ALM), Avelino Conceição, visado num escândalo sexual que está a abalar o meio político na Região, já apresentou queixa no Departamento de Investigação Criminal da Polícia Judiciária (PJ) do Funchal pelo crime de devassa da vida privada por meio informático. Segundo o DIÁRIO apurou, o deputado suspeita de uma conspiração política concretizada por alguém ligado ao aparelho do partido e já deixou os nomes à PJ.

A denúncia foi apresentada após o almoço de quarta-feira, no intervalo do debate na especialidade do Orçamento da Região Autónoma da Madeira para 2019, depois de alguns dos deputados do PS se aperceberem que um vídeo de cariz sexual, envolvendo o histórico socialista de Machico, estava a circular entre os demais parlamentares, conforme o DIÁRIO avançou ontem no liveblog da ALM da nossa edição digital e cujos desenvolvimentos pode acompanhar aqui.

Em causa está a gravação de um vídeo através de ‘webcam’, onde aparece o deputado socialista à frente de um computador, nas instalações da Junta de Freguesia de Água de Pena, a trocar mensagens com uma mulher que, a determinado momento da conversa, convence-o a exibir e a tocar as partes íntimas, facto que acabou por acontecer.

O vídeo foi publicado no Youtube (entretanto retirado por denúncia) e depois começou a circular através de outras aplicações informáticas - Messenger do Facebook e WhatsApp – chegando a vários políticos e deputados do parlamento madeirense.

Desconhece-se a data concreta da gravação do vídeo com pouco mais de 2 minutos. Contudo, fonte ligada ao PS-M confirmou que remonta há cerca de dois anos, quando o deputado socialista ainda estava ligado à direcção da Junta de Freguesia de Água de Pena. Contudo, só agora é que aquele conteúdo multimédia começou a ser divulgado nas redes sociais, facto que pode sustentar a tese de conspiração que o deputado alega ter sido sido alvo.

Avelino Conceição foi o coordenador da campanha do primeiro-ministro António Costa em 2014, e é, actualmente, deputado na ALM, ocupando ainda um dos três lugares de vice-presidente do partido. O parlamentar está convicto que o vídeo gravado há cerca de dois anos e posto agora a circular foi uma conspiração arquitectada por alguém ligado ao próprio partido para aniquilá-lo politicamente.

Segundo o DIÁRIO apurou, Avelino Conceição indicou ontem à PJ pelo menos dois nomes afectos ao aparelho do PS-Madeira – correspondendo aos presumíveis mandante e executante – que, por intermédio da criação de um perfil falso nas redes sociais e sob o manto de uma mulher atraente, conseguiram arrastá-lo para uma armadilha, perpetrando um escândalo sexual comprometedor.

Avelino Conceição é um dos históricos socialistas na Madeira. Foi dos bastiões do PS durante o domínio Jardinista, cumpriu três mandatos como presidente da Junta de Freguesia de Água de Pena, até assumir o cargo de deputado na ALM, ascendendo a um dos lugares de vice-presidente do partido.

Mensagem enigmática

A 24 de Setembro de 2018, fechou o ciclo autárquico deixando um mensagem enigmática no Facebook, lembrando que a 1 de Novembro, deixaria de fazer parte do executivo da Junta de Freguesia de Agua de Pena: “Cuidado com os camaleões dessa freguesia, está atento a tudo que te rodeia, porque há gente que infiltrada só quer a derrota do partido Socialista. Da minha parte, vou andar por aí atento a todas as manobras maquiavélicas que alguns planeiam e nesse caso podes contar comigo para a defesa dos nossos ideais”.

Depois da ausência notada na tarde de ontem, quarta-feira, na ALM, Avelino Conceição voltou na manhã desta quinta-feira, a sentar-se no lugar de deputado, ao lado de Víctor Freitas, líder da bandada parlamentar socialista, no âmbito da discussão do ORAM 2019.

André Escórcio entrega cartão e pede demissão de deputado

Este escândalo sexual já levou outro histórico do PS-M a bater com a porta. André Escórcio garantiu, na sua página no Facebook, que vai expedir para o PS-M o seu cartão de militante, com quotas pagas até Dezembro de 2018, solicitando a sua anulação, enquanto não forem tomadas as devidas atitudes por parte da direcção do partido em relação a Avelino Conceição.

Em causa está, adiantou, “um vídeo, onde é mostrado um deputado do PS-M simultaneamente, vice-presidente do partido, em imagens que apenas digo serem chocantes quando tornadas públicas. Não vou aqui descrevê-las”.

O professor e ex-deputado socialista, André Escórcio, lançou um repto ao presidente do PS-M, Emanuel Câmara, e a Victor Freitas, líder da bancada parlamentar. “O presidente do PS-M só tem um caminho possível, abrir um inquérito sumário, averiguar, levar o assunto à Comissão de Jurisdição propondo a sua demissão. Entretanto, deve o deputado em causa deixar a Assembleia Legislativa da Madeira e todos os cargos que ocupa”.

O antigo dirigente afirma que “o exercício da política tem de ser pautado pelo rigor, pela decência e por comportamentos adequados”.

Silêncio impera na bancada parlamentar do PS-M

O DIÁRIO tentou obter um comentário quer junto de Victor Freitas como também de Avelino Conceição, mas ambos recusaram abordar este tema.

Segundo escândalo parlamentar no espaço de dois dias

Este é o segundo caso a abalar o Parlamento madeirense durante a discussão do ORAM2019.

Na tarde de terça-feira, o DIÁRIO avançou a notícia dando conta que o deputado do PSD, Luís Miguel Calaça, foi detido pela Polícia de Segurança Pública, na sequência de uma atribulada operação STOP de fiscalização do trânsito, ocorrida na madrugada do passado dia 2 de Dezembro, no Funchal, que envolveu disparos para o ar e perseguição policial.

O parlamentar, que acusou uma taxa de alcoolemia de 1,87 gls, garantiu que vai assumir todas as responsabilidades estando disposto a pedir o levantamento da imunidade parlamentar para colaborar com a justiça.

Outras Notícias