Contas consolidadas da Câmara Municipal do Funchal foram hoje discutidas e aprovadas

As empresas municipais Sociohabita e Frente MarFunchal apresentaram este ano, resultados líquidos positivos

19 Jun 2019 / 14:59 H.

A reunião semanal da Câmara Municipal do Funchal (CMF), realizada hoje nos paços do concelho, aprovou as contas consolidadas do município do Funchal que incluem os resultados das duas empresas municipais Sociohabita e Frente MarFunchal que apresentaram, este ano, resultados líquidos positivos, contribuindo assim para a melhoria dos resultados de todo o grupo municipal da Autarquia.

Segundo o presidente Miguel Silva Gouveia, porta-voz das deliberações, a CMF desceu a sua dívida de 54,4 milhões para 36 milhões, considerando que se trata de um “resultado excepcional” que representa “a menor dívida desde o ano 2000”.

Enalteceu não só o trabalho dos administradores das empresas municipais, mas também de todos os seus trabalhadores que souberam “dar uma resposta com trabalho às dificuldades que surgiram”. Particularizou os nadadores-salvadores da Frente MarFunchal que passaram a ser contratados durante o ano inteiro, integrando os quadros de pessoal.

Apesar de representarem um encargo adicional para a gestão das operações correntes da empresa municipal, comparativamente ao passado, onde eram contratados apenas para a época balnear, o líder da autarquia funchalense destacou o trabalho destes profissionais que recentemente, fora da época balnear, tiveram duas intervenções que salvaram a vida a dois banhistas (na Praia Formosa e na Ponta Gorda) o que representa uma “enorme satisfação” para o município.

Ainda de acordo com Miguel Silva Gouveia, a política deste município passa por dotar estas empresas municipais de maior autonomia financeira, nomeadamente a empresa Frente MarFunchal que está a ter “resultados positivos e apresenta um aumento na qualidade do serviço prestado e na segurança prestada às praias do Funchal”.

Foi ainda aprovado por unanimidade a adjudicação do concurso internacional para o fornecimento de combustíveis para os próximos três anos e vai permitir uma poupança de 350 mil euros, sendo a maior poupança da CMF na gestão dos combustíveis para a sua frota.