Cancro da mama com baixa mortalidade abaixo dos 65 anos na Madeira

Contudo, acima dos 65 anos a RAM apresenta a segunda taxa de mortalidade mais elevada do país

20 Out 2019 / 15:05 H.

Os óbitos provocados por tumor maligno da mama feminina apresentam um comportamento bastante distinto por região quando se olha para a taxa de mortalidade padronizada por 100.000 habitantes para a população com menos 65 anos, por um lado, e para aquela com mais de 65 anos, por outro.

Com efeito, as Regiões Autónomas apresentam valores substancialmente mais baixos que a média nacional para o referido indicador, medido para os indivíduos com menos de 65 anos.

Contudo, para o grupo de população com 65 e mais anos, a taxa de mortalidade padronizada da RAM é a segunda mais elevada, logo atrás da Região Autónoma dos Açores.

Estes são alguns dos indicadores que poderão ser encontrados nos primeiros capítulos do ‘Atlas Estatístico da Região Autónoma da Madeira’, lançado pela Direcção Regional de Estatística da Madeira (DREM), para assinalar o Dia Europeu da Estatística.

Esta publicação tem como objectivo promover a literacia estatística dos cidadãos, com recurso a cartogramas e gráficos visualmente apelativos, de modo a facilitar a apreensão por parte dos utilizadores dos indicadores mais relevantes de cada área temática, que estão integrados nas diversas publicações disponibilizadas pela DREM para cada domínio estatístico.

A primeira edição é dedicada à Demografia e Mortalidade, sendo que este último capítulo incide fundamentalmente sobre as diversas causas de morte.

A DREM está já a trabalhar no próximo capítulo do Atlas, que será dedicado à Educação, o qual deverá ser lançado no início do próximo ano.