Câmara do Funchal prevê adquirir mais 10 ‘ilhas ecológicas’ para substituir ecopontos de superfície

A partir de hoje, o Bairro da Nazaré passa a ter novas ‘ilhas ecológicas’ num investimento co-financiado da CMF superior a 300 mil euros

09 Out 2019 / 13:27 H.

O presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Silva Gouveia, inaugurou esta manhã, ao lado da vice-presidente Idalina Perestrelo, 12 novas ‘ilhas ecológicas’ no Bairro da Nazaré.

Miguel Silva Gouveia reiterou, na ocasião, as vantagens da implementação das “deste tipo de equipamento, que vêm juntar-se a outras seis ‘ilhas ecológicas’ já existentes no centro da cidade, e cujo sistema potencia a redução dos custos para autarquia na recolha de resíduos, o aumento da taxa de reciclagem e a redução da poluição ambiental e visual. Além de terem uma maior capacidade de depósito e uma reduzida emissão de odores, as ilhas ecológicas exigem uma menor ocupação da via pública, contribuindo para a requalificação dos espaços urbanos e para a harmonia com a zona envolvente.”

No que toca a custos, o presidente explicou que, em comparação aos contentores tradicionais, “as ‘ilhas ecológicas’ exigem menor manutenção, permitindo optimizar os circuitos de recolha e a gestão da frota, já que todos os contentores estão dotados de sensores, através dos quais é possível monitorizar o nível de enchimento de cada contentor, o que se traduz em poupanças de combustível e numa logística mais eficaz”.

Miguel Silva Gouveia deu conta de que “desde Maio de 2018, altura em que foram instaladas as primeiras ‘ilhas ecológicas’ no Funchal, até ao final do mês de Setembro de 2019 foram recolhidas cerca de 300 toneladas de resíduos recicláveis nos contentores enterrados, sendo este um número com tendência a crescer de ano para ano, porque notamos que a população está cada vez mais sensibilizada para a separação correcta dos resíduos”.

Cada ‘ilha ecológica’ é composta por três contentores de recolha selectiva, papelão, embalão e vidrão, cada um com capacidade para 5.000 litros. A aquisição destas 12 ‘ilhas’ representou um investimento de cerca de 265 mil euros + IVA, a que se soma o investimento na viatura de recolha com grua, que ascendeu a 174 mil euros, acrescido do IVA. Ambos os equipamentos foram co-financiados a 85% no âmbito de uma candidatura ao POSEUR.

Miguel Silva Gouveia anunciou, por fim, que “o município já tem em curso uma nova candidatura ao POSEUR, na qual se prevê a aquisição de mais dez ilhas ecológicas, num total de 30 contentores, com vista à substituição dos ecopontos de superfície de outros aglomerados habitacionais no concelho”.

Outras Notícias