Banca empresta menos, mas vê malparado melhorar

Dados divulgados até ao final de 2019.

27 Dez 2019 / 15:55 H.

No final de Setembro de 2019, o saldo dos empréstimos concedidos a cerca de 3.600 sociedades não financeiras na Região não ultrapassava os 1.608,4 milhões de euros, inferior em 61,3 milhões de euros em termos homólogos (-3,7%). No ano de 2019, o saldo dos empréstimos concedidos a SNF tem apresentado uma tendência decrescente.

No mês em referência, o montante de empréstimos vencidos ascendia aos 191,2 milhões de euros, diminuindo em 5,5 milhões (-2,8%) face a junho de 2019. A redução homóloga é muito acentuada, evidenciando um decréscimo em 122,9 milhões de euros (-39,1%) comparativamente a Setembro do ano passado. Esta evolução permitiu reduzir o rácio de empréstimos vencidos na Região, no mesmo período, de 18,8% para 11,9%. Comparativamente ao país, a RAM apresenta um rácio superior, sendo que no cômputo nacional, este indicador passou de 11,0% em Setembro de 2018 para 6,4% em Setembro de 2019.

A percentagem de devedores do sector das SNF com empréstimos vencidos era em Setembro deste ano de 21,2%, percentagem superior à nacional (18,9%). Face a Setembro de 2018, este indicador diminuiu 1,9 pontos percentuais na Região.

No sector das famílias e das ISFLSF, o saldo dos empréstimos concedidos era em Setembro de 2019 de 3.363,1 milhões de euros, inferior aos 3.407,9 milhões de euros (-1,3%) de um ano antes. Face a Junho de 2019, a variação é pouco significativa (5,0 milhões de euros apenas). 62,8% daquele saldo era referente ao segmento da “habitação” e o restante 37,2% ao “consumo e outros fins”. Comparativamente a Setembro de 2018, o saldo dos empréstimos concedidos referente ao primeiro segmento diminuiu 1,9%, enquanto no caso do segundo a redução foi de 0,4%.

O número de devedores no sector das famílias e das ISFLSF ascendia a 97,2 mil em Setembro de 2019, apresentando uma tendência crescente no último ano, impulsionado pelo aumento nos devedores que contraíram empréstimo para “consumo e outros fins”. Em termos homólogos, o crescimento global foi de 3,5% e neste segmento em particular de 5,5%. No segmento de “habitação” houve uma diminuição de 3,7%.

Relativamente aos empréstimos vencidos no segmento da habitação, os mesmos não ultrapassavam os 31,6 milhões de euros, representando um rácio de empréstimos vencidos de 1,5%, ligeiramente acima do valor nacional (1,1%).

Alterações ‘baralham’ as contas

Segundo a nota da DREM, há alterações realizadas no portal do Banco de Portugal, bem como no método de compilação de dados e, ainda, a periodicidade das divulgações que vieram obrigar a nova informação.

“O Banco de Portugal (BdP) disponibilizou em Novembro passado um portal de estatísticas oficiais completamente renovado. Essa novidade acarretou também alterações ao nível da informação disponível ao nível de empréstimos e depósitos. Presentemente, a informação por município deixou de estar disponível, bem como os dados dos depósitos”, informa a Direcção de Estatística.

“O quadro que anteriormente era referente ao Sector das famílias passa a incluir também as ISFLSF – Instituições sem Fins Lucrativos ao Serviço das Famílias, sendo que quer para estes Sectores que para as Sociedades não Financeiras os dados são agora mensais, reportando-se ao final de cada mês. Apesar desta situação, a DREM manterá a divulgação com periodicidade trimestral”, acrescenta e ainda aponta mais: “Outra alteração importante é que no anterior sistema, o critério relevante para a imputação das operações era o da localização dos balcões responsáveis pelas operações sendo que, no actual sistema, a informação disponibilizada considera a localização da residência efetiva dos devedores.”

E, por fim, uma promessa: “Face ao exposto, a DREM reformulou os quadros desta área, havendo a expectativa de que no próximo ano nova informação venha a estar disponível.”