19 vítimas continuam no hospital, quatro nos cuidados intensivos

Hospital não confirma vítima transeunte. Corpos só deverão começar a ser entregues às famílias no sábado

18 Abr 2019 / 11:43 H.

Dos 28 feridos que deram entrada ontem no hospital, oito tiveram alta e quatro continuam nos cuidados intensivos, são doentes politraumatizados. Cinco dos feridos do acidente foram submetidos a cirurgias de ortopedia ou cirurgia geral, entre eles dois portugueses, um homem e uma mulher que estão conscientes e estáveis. Há ainda uma outra intervenção programada para hoje. Os serviços ainda estão a proceder à identificação das vítimas, pelo que ainda não é possível dar essa informação aos familiares. “É preciso dar mais algum tempo”, disse Tomásia Alves, presidente da Direcção do Serviço Regional de Saúde (SESARAM). Os 29 cadáveres que estão na morgue na sequência deste acidente, 17 são mulheres e 12 homens. O Serviço de Medicina Legal espera até sábado iniciar os processos de identificação e consequente entrega dos corpos às famílias.

Na conferência de imprensa desta manhã foi confirmada a existência de dois portugueses entre os feridos, mas não foi revelado se estas duas pessoas que chegaram ao serviço vindos do local do acidente são o condutor e a guia intérprete ou se é um homem que alegadamente terá sido colhido no local pelo autocarro desgovernado. Para já ainda ninguém confirmou a existência de mortos para além dos que seguiam viagem no autocarro que ontem por volta das 18h30 saiu da estrada na zona do Caniço de Baixo, matando 28 pessoas. Além das 28 vítimas decretadas no local do acidente, uma outra pessoas acabou por falecer nos cuidados intensivos, uma informação que já tinha sido avançado ontem na conferência de imprensa das 23 horas.

Miguel Reis, adjunto da Direcção Clínica, fez o ponto da situação hoje às 10 horas, revelando que última vítima socorrida deu entrada ontem às 19h50. Dos 26 feridos de nacionalidade estrangeira, a grande maioria era alemã. Das vítimas, dez eram homens, 18 mulheres, com idades compreendidas entre os 40 e os 60 anos.

Inicialmente foi dito que foram dadas nove altas médicas, mas esse número foi corrigido depois pelo hospital para oito. Das 19* vítimas do acidente que ainda permanecem no hospital, oito estão internadas no Serviço de Ortopedia, quatro estão na Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente e uma vítima está nos Cuidados Intermédios Cirúrgicos. Seis pessoas estão em observação no Serviço de Urgência.

A equipa de Medicina Legal foi reforçada de forma a acelerar o processo de identificação e libertação dos corpos para as cerimónias fúnebres.

As actualizações serão feitas a partir de agora através de comunicado de imprensa, diariamente às 11 horas.

Entretanto as vítimas e os familiares destas têm tido apoio psicológico e espiritual, nomeadamente com a ajuda de Igreja Presbiteriana na Madeira.

Outras Notícias