‘Príncipe’ da Pontinha detido por desobediência

GNR foi obrigada a algemar Renato Barros

25 Set 2017 / 13:41 H.

Renato Barros, conhecido como o ‘Príncipe da Pontinha’, foi detido esta manhã pela GNR. Tudo porque desobedeceu a uma ordem judicial de encerramento das instalações do forte de São José, situado no ilhéu da Pontinha, de que é proprietário.

O DIÁRIO apurou que a GNR limitou-se a executar a ordem judicial, mas deparou-se com a resistência por parte de Renato Barros, tendo havido desacatos, o que motivou a detenção.

O detido saiu algemado do ‘Principado’ e foi conduzido ao comando territorial da GNR no Funchal, onde foi constituído arguido pelo crime de desobediência aos agentes da autoridade.

Renato Barros já foi libertado, tem termo de identidade e residência e está incomunicável nesta altura. O processo já foi remetido para o Ministério Público.

O ‘Príncipe’ conta a sua versão num post colocado no Facebook, no qual colocou um video em que mostra o momento da detenção.

“As autoridades portuguesas violaram ostensivamente o direito internacional público, ao deterem ilegalmente o Principe D.Renato no seu Principado. E em vez de ser conduzido a um Juiz Português, está ilegalmente retido na GNR - Guarda Naconal Republicana, que não tem qualquer competência para intervir, quando muito seria a Polícia Marítima pois trata-se de uma ilha”, refere sem abordar o que motivou a ordem judicial.

Outras Notícias