Cristiano Ronaldo alterou testamento e incluiu Georgina como herdeira

A mãe, Dolores Aveiro, continua a ser a responsável máxima pelo seu legado

29 Ago 2019 / 11:09 H.

Cristiano Ronaldo alterou o seu testamento e incluiu a sua companheira, Georgina Rodríguez, como herdeira, em caso de morte prematura, avança o diário espanhol ‘ABC’.

Com uma fortuna avaliada em mais de 300 milhões de euros, o ‘astro’ madeirense decidiu, numa das muitas viagens que realizou a Lisboa, alterar, junto dos seus advogados, o documento, em pleno Pestana CR7.

“Georgina Rodríguez agora foi incluída entre os herdeiros. CR7 retocou o conteúdo, anteriormente, em 2017, mas o relacionamento não estava tão consolidado como hoje. Portanto, parece lógico que o atacante tenha esperado mais tempo para [Georgina] ocupar um lugar importante no documento”, escreve Francisco Chacó, jornalista do ‘ABC’.

Ainda assim, caso o jogador morra, a sua mãe, Dolores Aveiro, será a responsável por gerir o seu legado financeiro. Há ainda quem partilhe da opinião de que esta decisão tomada por Cristiano Ronaldo tenta colocar alguma água na ferverua entre Dolores Aveiro e Georgina Rodríguez.

“Alguns sectores da vida social da Madeira, onde a popularidade do clã de Aveiro é inegável, apontam que Georgina teria que fazer um esforço maior para falar português e apontam essa circunstância como um dos factores que a afastam de Dolores, de 64 anos. A diferença de idade também é adicionada, porque ela tem 25 anos. E a prova é que a ex-vendedora espanhola da Gucci dá-se muito bem, no entanto, com Alicia Aveiro, a sobrinha de 20 anos”, pode ler-se ainda na publicação.