Paletes criativas promovem mar e Museu da Baleia

17 instituições e 400 participantes estiveram envolvido no concurso deste ano alusivo também aos 600 anos. O resultado estará à vista a partir desta tarde na Praia de São Roque

13 Jun 2019 / 10:45 H.

Todos os anos o Museu da Baleia da Madeira promove um concurso junto das escolas e outras instituições ligadas ao ensino como forma de sensibilizar para o mar e para os cetáceos em particular. Este ano o desafio partiu de paletes e foi associado às comemorações dos 600 anos, tendo envolvido 17 instituições e cerca de 400 participantes. ‘Àpala dos 600 anos – Monstros à vista’ resultou numa série de trabalhos que serão revelados hoje ao público pelas 15 horas na praia de São Roque, em Machico.

Os trabalhos do ‘Àpala dos 600 anos – Monstros à vista’ têm a particularidade de ser também objectos úteis. São estratos de madeira que ficarão ao dispor dos veraneantes durante a época balnear. O concurso consistiu numa intervenção artística sobre estas estruturas “com a finalidade de serem colocados na praia de S. Roque, em Machico, onde há 600 anos os navegadores Tristão Vaz Teixeira e João Gonçalves Zarco desembarcaram, mas também contribuindo para aproximar o museu da comunidade”, refere a direcção do Museu tutelado pela Câmara Municipal de Machico. O concurso procurou promover simultaneamente a criatividade e o conhecimento científico dos cetáceos e do meio marinho, procurando acabar com a ideia de que as baleias eram monstros.

No âmbito do concurso as escolas e instituições que aderiram ao desafio realizaram uma visita ao museu como parte do trabalho de campo. De referir que entre as quatro centenas de jovens e adultos que participaram no ‘Àpala dos 600 anos – Monstros à vista’ encontram-se também jovens com necessidades educativas especiais.

Outras Notícias