OCM associa-se ao Festival de Órgão da Madeira com concerto na Sé do Funchal

21 Out 2019 / 10:15 H.

A Orquestra Clássica da Madeira (OCM) volta a participar na 10.ª edição do Festival de Órgão da Madeira com um espectáculo musical marcado para o próximo sábado, 16 de Outubro, às 21h30, na Sé do Funchal.

‘Génios da composição musical do Séc. XIX’ estreia-se na Região e será, de acordo com o director artístico da OCM, um dos momentos altos do certame, com a OCM a apresentar um “programa único” com obras dos franceses Berlioz e Saint-Saëns, nomeadamente ‘La Damnation de Faust’ de Berlioz, em três andamentos, e a imponente sinfonia n.º3 ‘Com Órgão’ de Saint-Saëns.

Juntamente com João Vaz, organista português, director artístico do Festival de Órgão da Madeira, e Laura Nunes, jovem organista que iniciou a sua formação académica na Madeira, a Orquestra Clássica da Madeira, pelas mãos do conceituado maestro Martin André, apresenta “um repertório com obras de destaque da genial criação destes dois compositores, escritas na segunda metade do Séc. XIX”, refere Norberto Gomes.

Com o esplendor artístico e acústico da Catedral do Funchal, este concerto marcará o Festival de Órgão da Madeira, não só pela “riqueza da programação, mas também pela procura do público que carinhosamente acompanha a actividade da nossa orquestra”, salienta o director artístico da OCM, considerando que se trata de uma “extraordinária oportunidade para ouvir o órgão novo desta igreja, que no final da sinfonia será ‘reforçado’ com o órgão histórico do coro alto”.

A entrada é livre neste concerto orientado pelo maestro Martin André.

Programa

Hector Berlioz [1803-1869] - La Damnation de Faust:

Dance des sylphs

Menuet de follets

Marche Rakoczy (marche hongroise)

Camille Saint-Saëns [1835-1921] - Sinfonia n.º 3 em Dó menor, op.78, “Órgão”

Maestro Convidado - Martin André

Martin André frequentou a Yehudi Menuhin School (onde estudou piano) e estudou música na Universidade de Cambridge. Fez a sua estreia profissional dirigindo uma versão de câmara da Aida para a Ópera Nacional de Gales, onde passou várias temporadas como maestro residente. Durante este período trabalhou um vasto reportório, dando particular atenção ao séc. XIX italiano.

Entre 1993 e 1996 foi Diretor Musical da English Touring Opera, dirigindo óperas tanto em Londres como em digressões por todo o Reino Uno na Ópera ido. Em 1996 foi galardoado com o Arts Foundation Conducting Foundation.

Martin André é o único maestro que já dirigiu todas as grandes companhias de ópera britânicas. Desde que deixou o seu cargo na Ópera Nacional de Gales, tem-se apresentado à frente da Royal Opera House, Glyndebourne Touring Opera, Ópera da Escócia, Ópera Nacional Inglesa, Opera North e Ópera da Irlanda do Norte. Em 2000 dirigiu uma produção gravado ao vivo para a BBC de Londres de Le Nozze di Fígaro.

Atualmente divide a sua carreira profissional entre os teatros de ópera e as salas de concerto, dirigindo reputadas orquestras.

A sua carreira internacional inclui compromissos na África do Sul, Albânia, Alemanha, Austrália, Canadá, Estados Unidos, França, Holanda, Israel, Itália, Noruega, Nova Zelândia, Portugal, República Checa e Suíça.

Outras Notícias