Jornalista paquistanesa sequestrada há dois anos foi resgatada

21 Out 2017 / 11:33 H.

A jornalista paquistanesa Zeenat Shahzadi foi resgatada na fronteira entre o Paquistão e o Afeganistão, dois anos depois de ter sido sequestrada na rua por homens armados, disseram à Efe na sexta-feira várias fontes.

O secretário da Comissão de Investigação de Desaparecimentos, Farid Ahmad Khan, disse que a jornalista de 26 anos foi resgatada na quarta-feira à noite em áreas que fazem fronteira com o Afeganistão. Ahmad não deu mais detalhes sobre como ocorreu o resgate, onde exatamente a jornalista se encontrava ou quem estava envolvido na operação.

Já o responsável da organização não-governamental Comissão dos Direitos Humanos do Paquistão (HRCP), I. A. Rehman, disse à Efe que a jornalista foi resgatada por “forças de segurança” na fronteira, mas não avançou mais detalhes.

A jornalista da televisão Nai Khabar e Metro News foi raptada por homens armados enquanto viajava num riquexó na cidade de leste de Lahore em 19 de agosto de 2015.

De acordo com a Amnistia Internacional, no momento do seu sequestro Shahzadi estava a investigar o desaparecimento de um cidadão indiano no Paquistão e tinha apresentado o caso perante o Supremo Tribunal do país.

O Paquistão é considerado um dos países mais perigosos para jornalistas e a organização Repórteres Sem Fronteiras coloca-o em 139.º lugar num ‘ranking’ de 180 países sobre a liberdade de imprensa.

Segundo o Comité de Proteção de Jornalistas, pelo menos 60 jornalistas morreram no Paquistão desde 1994, dos quais 33 foram assassinados, três morreram em combate ou fogo cruzado e 24 enquanto trabalhavam em “missões perigosas”.

Tópicos

Outras Notícias