FMI defende aperfeiçoamento do comércio global em cooperação

21 Abr 2017 / 04:22 H.

A directora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, reconheceu ontem que há margem para melhorar o sistema de comércio global, mas sublinhou que isso deve ser feito em cooperação.

“Claro que há margem para melhorar o sistema de comércio global, mas isso deve ser feito em cooperação”, indicou Lagarde, depois das críticas do presidente norte-americano, Donald Trump.

Lagarde falava em conferência de imprensa, no início da assembleia de primavera do FMI e do Banco Mundial.

Este será o primeiro encontro em que participa a nova administração Trump, representada pelo secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, que se tem manifestado contra a globalização e a favor do nacionalismo económico.

Lagarde afirmou que nas reuniões se vai trabalhar para “um comércio o mais justo e eficiente possível” e acrescentou que isso inclui “que não se recorra a medidas proteccionistas”.

Para a directora do FMI, o comércio tem sido um dos “principais motores” do crescimento nas últimas décadas, pelo que é importante defendê-lo para que contribua para a revitalização económica.

As divergências entre Washington e o FMI sobre questões comerciais voltaram a estar em foco esta semana, quando o secretário do Comércio, Wilbur Ross, refutou as acusações de que os Estados Unidos estão a adotar uma abordagem proteccionista.

Depois de ter chegado ao poder, Trump retirou os Estados Unidos do Acordo Transpacífico, negociado pelo seu antecessor, Barack Obama, e prometeu renegociar o Tratado de Comércio Livre da América do Norte, com o México e o Canadá, considerando-o “desastroso” para os trabalhadores norte-americanos.

Outras Notícias