Debate debruça-se sobre pós 2020

Liliana Rodrigues organiza conferência sobre desafios para a Madeira no próximo quadro comunitário de apoio com a ajuda de diversos convidados

10 Abr 2018 / 10:44 H.

E depois de 2020? A questão coloca-se e porque Liliana Rodrigues acredita que é importante pensar nos próximos desafios que se vão colocar à Região depois do actual quadro de apoios comunitários com antecedência, a eurodeputada promove no dia 8 de Maio no auditório do Museu de Electricidade da Madeira - Casa da Luz a conferência ‘Madeira pós-2020: Pensar o Futuro’. Com início às 10 horas, a iniciativa pretende debater as estratégias e prioridades da Região no âmbito do próximo Quadro Financeiro Plurianual (QFP) da União Europeia (UE).

O encontro vai contar com a participação de vários convidados, vai unir entidades regionais, nacionais e diversas instituições e associações da sociedade civil. O objectivo é um debate pural com contributos de diferentes quadrantes e sensibilidades em prol do melhor para a Madeira.

É importante pensar e reflectir atempadamente sobre as estratégias, a médio e a longo prazo, para o futuro da Região, analisando os pontos que, para a Madeira, se apresentam como prioritários, defende a deputada socialista. “Este debate será um exercício importante e terá em conta as políticas públicas regionais, nacionais e europeias, numa altura em que sabemos que a Política de Coesão irá perder um dos seus maiores contribuintes, neste caso, o Reino Unido”, destaca Liliana Rodrigues, citada pelo seu gabinete.

“A Comissão Europeia iniciou, no passado mês de Janeiro, a discussão pública sobre o QFP pós-2020. A ideia é que Bruxelas possa divulgar, já no próximo mês de Maio, o próximo QFP e a legislação relativa aos futuros programas e fundos europeus. Depois desta discussão inicia-se outra: qual o valor dos fundos atribuídos a cada país. Tudo terá de estar decidido até à última semana de Maio de 2019, altura em que terão lugar as próximas eleições europeias. Apenas pouco antes desta altura é que a Região saberá qual a parte que lhe caberá em termos de investimento previsto pela EU”, revela o documento.

Liliana Rodrigues já está a trabalhar para o próximo quadro comunitário, particularmente tem acompanhado de perto a discussão sobre o futuro da política de coesão, tendo feito aprovar, segundo o seu gabinete, uma sua proposta para a criação de um mecanismo específico de financiamento para as regiões ultraperiféricas (RUP) que dê apoio à integração de migrantes.

Outras Notícias