Greve dos motoristas, derrota do FC Porto e mudanças de sexo em destaque na imprensa nacional

Lisboa /
14 Ago 2019 / 08:46 H.

Continua a greve dos motoristas de matérias perigosas e a falta de combustíveis em muitas zonas do país. A notícia está em destaque na imprensa de hoje, 14 de Agosto, com o governo a querer novas negociações entre motoristas e patrões. O Público escreve que Vieira da silva apelou ao regresso à mesa das negociações.

Já o Correio da Manhã refere que 14 profissionais falham requisição civil e alegam doença. Governo já mandou investigar atestados médicos dos motoristas.

Em grande destaque no Jornal I estão as declarações de Pardal Henriques. O representante do sindicado dos motoristas de matérias perigosas recusa sair da mesa de negociações e avisa: “não vou sair de maneira nenhuma”.

A Antram fala em colapso no abastecimento os hospitais e é desmentida pelo Ministério da Saúde.

As críticas sobem de tom com Ana Gomes a acusar Pardal de usar as reivindicações dos motoristas para servir os seus próprios interesses e acusa um indivíduo da Antram (André Matias de Almeida) de destilar ódio aos trabalhadores.

A mudança de sexo é outro dos temas em destaque na imprensa de hoje. O Jornal de Notícias revela que as mulheres a mudar de sexo são o dobro dos homens. Desde o início de 2019, 135 pessoas já trocaram de género graças à lei que faz agora um ano. Lisboa, Porto e Matosinhos lideram os pedidos.

O mesmo assunto ocupa grande parte da capa do Correio da Manhã. 135 pessoas alteram género e nome no cartão de cidadão e Daniel foi o primeiro menor a alterar a identidade.

O Diário de Notícias destaca o recorde de movimento de passageiros nos aeroportos portugueses. Ainda sem contabilizar os meses de Verão, mais de dois milhões de passageiros já passaram pelos aeroportos portugueses. Sá Carneiro, no Porto, foi o que mais cresceu.

A derrota do Futebol Clube do Porto na Liga dos Campeões frente ao Krasnodar é outros dos temas em evidência. O CM escreve que foi um pesadelo de 44 milhões no Dragão.

O JN diz que dragões se despedem da Liga dos Campeões antes de entrarem, punidos por uma primeira parte desastrosa em que sofreram três golos. O mesmo acontece no DN e no Público que referem o adeus a 44 milhões devido à derrota.