Edifícios licenciados e concluídos sobem 5,9% e 16,7% no 3.º trimestre

Número de edifícios concluídos regista um acréscimo de 57,1% na Madeira

País /
12 Dez 2019 / 11:53 H.

Os edifícios licenciados aumentaram 5,9%, para 5,7 mil, e os edifícios concluídos subiram 16,7%, para 4,1 mil, no terceiro trimestre deste ano face ao mesmo período de 2018, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

A subida homóloga de 5,9% dos edifícios licenciados acelerou face à do segundo trimestre de 2019, que tinha sido de 1,9%, enquanto a evolução de 16,7% dos edifícios concluídos abrandou relativamente aos 19,4% do trimestre precedente.

Face ao trimestre anterior, entre julho e setembro o número de edifícios licenciados diminuiu 2,5% (-5,4% no segundo trimestre de 2019) e o número de edifícios concluídos cresceu 5,3% (+4,3% no segundo trimestre de 2019).

No terceiro trimestre, os edifícios licenciados para construções novas aumentaram 6,2% e o licenciamento para reabilitação aumentou 3,9%, ambos acelerando face às variações registadas no trimestre anterior (+3,2% e -11,3%, respectivamente).

Já os edifícios concluídos registaram um acréscimo de 16,7% (+19,4% no segundo trimestre de 2019), perfazendo 4,1 mil edifícios, correspondendo, na sua maioria, a construções novas (73,9%), das quais 75,4% tiveram como destino a habitação familiar.

Do total de edifícios licenciados no terceiro trimestre, 69,4% eram construções novas e, destas, 76,4% destinaram-se a habitação familiar. Os edifícios demolidos (492 edifícios) corresponderam a 8,6% do total de edifícios licenciados.

Por regiões, apenas o Centro apresentou uma variação negativa no número de edifícios licenciados (-0,4%), tendo as restantes regiões do país apresentado variações positivas face ao período homólogo, com destaque para o Alentejo (+17,9%), o Algarve (+11,7%) e a Área Metropolitana de Lisboa (+8,2%).

Segundo o INE, os cinco municípios que no trimestre em análise apresentaram a maior variação homóloga absoluta do número total de fogos licenciados foram Matosinhos, Vila Nova de Gaia, Lisboa, Vila Real e Vila do Conde, responsáveis pelo licenciamento de 18,1% do total de fogos.

No que se refere às 4,1 mil obras concluídas no terceiro trimestre, a maioria correspondeu a construções novas (73,9%), das quais 75,4% tiveram como destino a habitação familiar.

A região Autónoma dos Açores apresentou uma queda homóloga de 21,3% nos edifícios concluídos, enquanto as restantes regiões apresentaram variações homólogas positivas, com destaque para a Região Autónoma da Madeira (+57,1%) e para a Área Metropolitana de Lisboa (+51,5%).

Do total de edifícios concluídos no terceiro trimestre de 2019, 65,4% localizaram-se nas regiões Norte e Centro, onde se situou também 60,9% do total de fogos concluídos em construções novas para habitação em todo o país.

No terceiro trimestre, o INE reporta um acréscimo de 19,4% na área total construída em Portugal, sendo que, com excepção das regiões autónomas dos Açores (-26,7%) e da Madeira (-12,6%) e do Centro (-10,5%), todas as outras regiões registaram um aumento na área total construída face ao mesmo período do ano anterior.

As regiões do Algarve, Alentejo e Norte destacaram-se como as regiões com maior acréscimo homólogo: +63,4%, +42,8% e +39,0%, por esta ordem.