Açores e Madeira pescaram 63% da quota de atum, mas o Estado diz que já vai em 80%

26 Jun 2019 / 22:20 H.

A Federação das Pescas dos Açores quer que a Secretaria de Estado das Pescas explique como já foram atingidos 80% da quota de atum-voador, se os dados das descargas nos Açores e na Madeira indicam apenas 63%.

“O presidente da Federação das Pescas dos Açores (FPA), Gualberto Rita, vai exigir explicações à Secretaria de Estado das Pescas, no sentido de perceber como é possível a quota já ter atingido este valor [80%], quando não coincide com os dados estatísticos relativos às descargas deste atum [63%]”, adiantou num comunicado de imprensa.

Segundo a federação, “a Direção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM) lançou, recentemente, um aviso no qual refere que a quota nacional de 1.994 toneladas destinadas à captura de atum-voador já atingiu os 80%”, mas o valor não coincide com os dados das descargas de atum em lota.

“No início desta semana, o estado das capturas desta espécie, entre a Região Autónoma dos Açores e a Região Autónoma da Madeira, era de cerca de 1.250 toneladas, correspondendo a uma percentagem de, aproximadamente, 63%”, frisou.

A associação liderada por Gualberto Rita exige, por isso, que a Secretaria de Estado das Pescas clarifique o valor da quota já atingido.

“Numa altura em que esta é a espécie de atum em maior abundância, a Federação das Pescas dos Açores não compreende o que terá acontecido para a quota de atum-voador ter chegado a esta ponto”, referiu.

A Lusa tentou obter uma reação do Ministério do Mar, mas até ao momento não foi possível.