Surto de listeriose já infectou 186 pessoas em Espanha

23 Ago 2019 / 14:46 H.

O surto de listeriose em Espanha, que começou em 15 de agosto, já afectou 186 pessoas, 99 das quais estão hospitalizadas, segundo as autoridades espanholas.

Entre os hospitalizados estão 31 mulheres grávidas.

Uma idosa de 90 anos que apresentava sinais e sintomas não resistiu à infecção e acabou por morrer e hoje um homem de 72 anos, doente oncológico terminal, morreu supostamente depois de ter sido contaminado. A relação desta segunda morte com a infecção provocada pela bactéria ‘Listeria monocytogenes’ ainda está a ser analisada.

Os produtos responsáveis pelo surto são “chincharrón” andaluz (gordura de porco frita), lombo de Jerez, lombo com pimentão, e lombo caseiro temperado com pimentão, da marca “La Mechá” tendo o Ministério da Saúde espanhol recomendado à população que não consuma os produtos de carne embalada desta marca.

O Ministério da Saúde espanhol aconselhou igualmente as pessoas que já consumiram os produtos da marca “La Mechá” a consultar os serviços médicos caso apresentem algum sintoma de terem sido afectados pela bactéria.

De acordo com informação disponível no ‘site’ SNS24 do Serviço Nacional de Saúde, a listeriose pode causar febre, calafrios, dores musculares, enjoo, vómitos, diarreia.

Todos os produtos embalados identificados pelo Ministério da Saúde espanhol foram distribuídos na Andaluzia e em Madrid, excepto o lombo caseiro temperado com pimentão que foi comercializado apenas na Andaluzia.

Entretanto, a Direcção Geral de Saúde Pública da Junta da Andaluzia está a realizar testes a outros produtos da empresa Magrudis, de Sevilha, que produz os embalados de carne ‘La Mechá’.

Em Portugal, a Direcção Geral de Alimentação e Veterinária esclareceu na quarta-feira que a carne contaminada com a bactéria ‘Listeria monocytogenes’ da marca ‘La Mechá’ e os produtos com origem no fabricante (Magrudis) espanhol, não são comercializados em território português.

A listeriose é uma infecção causada pela bactéria ‘Listeria monocytogenes’, habitualmente associada ao consumo de alimentos contaminados.

A Direcção Geral de Alimentação e Veterinária alerta os viajantes que tenham como destino as regiões de Madrid e Andaluzia, para a necessidade de adopção de medidas preventivas, nomeadamente a eliminação de produtos da marca que eventualmente possam ter adquirido.

Outras Notícias