Malta desembarca migrantes do ‘Ocean Viking’ após acordo entre europeus

Malta /
23 Ago 2019 / 12:35 H.

Malta vai desembarcar os 356 migrantes a bordo do navio “Ocean Viking”, depois de seis países europeus, um dos quais Portugal, terem aceitado recebê-los, anunciou hoje o primeiro-ministro maltês.

Numa série de ‘tweets’ publicados hoje, Joseph Muscat disse que os migrantes vão ser transferidos para navios da Marinha de Malta que os levarão para terra.

“Malta vai transferir estas pessoas para navios fora das águas territoriais que os vão levar para costa. Todos os migrantes vão ser recolocados em outros Estados-membros. Nenhum vai ficar em Malta”, escreveu Muscat.

O navio humanitário, de bandeira norueguesa, está entre a ilha italiana de Linosa e Malta, como objetivo de se manter afastado da costa para que a visão de terra firme não perturbe os passageiros, há cerca de duas semanas no mar a aguardar autorização para entrar num porto.

Os pedidos de autorização de desembarque foram negados por Malta e ignorados por Itália, segundo os Médicos Sem Fronteiras e a SOS Mediterranée, as duas organizações não-governamentais que operam o navio.

A autorização hoje dada foi justificada com a oferta de seis países europeus -- Portugal, Alemanha, França, Irlanda e Roménia -- para receberem todos os migrantes a bordo.

O Governo português anunciou na quinta-feira que receberá até 35 migrantes do “Ocean Viking” e França disse hoje que receberá 150.

O “Ocean Viking” realizou quatro operações de resgate de migrantes entre 09 e 12 de agosto, tendo a bordo 356 pessoas, 103 delas menores.

Outras Notícias