China lança pela terceira vez foguetão com que quer enviar sonda a Marte em 2020

China /
27 Dez 2019 / 16:43 H.

A China lançou hoje, pela terceira vez, um foguetão da série Longa Marcha-5, considerado um dos mais potentes do mundo e com o qual pretende enviar a primeira sonda a Marte em 2020.

O foguetão, para transporte de carga, foi lançado do centro espacial de Wenchang, na ilha chinesa de Hainan, às 20:45 locais (12:45 em Lisboa), tendo o acontecimento sido transmitido em direto pela televisão estatal CCTV.

Caso seja um sucesso, o lançamento permitirá “testar tecnologias-chave para futuras missões espaciais”, segundo a agência noticiosa Nova China.

O primeiro lançamento de um Longa Marcha-5 ocorreu em novembro de 2016, ao qual sucedeu uma tentativa abortada em julho de 2017 depois de um dos foguetões ter caído ao mar após a descolagem.

A China pretende enviar, em 2020, a sua primeira sonda para o planeta Marte e, em 2022, o módulo central de uma nova estação na órbita terrestre, depois de ter desativado as estações espaciais Tiangong 1 e 2 em 2016 e 2018, respetivamente.

Com a desativação da Estação Espacial Internacional (EEI), esperada em 2024, a nova estação espacial chinesa será a única a estar na órbita da Terra a partir desta data.

Os Estados Unidos e os seus parceiros na EEI (Europa, Rússia, Japão e Canadá) propõem-se construir uma nova estação espacial, mas na órbita da Lua, a Gateway, da qual serão enviadas missões humanas e robóticas para o satélite natural da Terra e, posteriormente, para Marte.

Os norte-americanos querem enviar novamente astronautas à Lua, inclusive a primeira mulher, em 2024 e, depois disso, a partir de 2028, estabelecer missões sustentáveis na superfície lunar.

A nave Orion, que transportará astronautas de regresso à Lua, foi construída numa parceria entre os Estados Unidos e a Europa.

Em novembro, a Agência Espacial Europeia (ESA) revelou a intenção de enviar, pela primeira vez, astronautas à Lua, sem concretizar datas, anunciado que irá iniciar o processo de recrutamento com esse propósito. Apenas astronautas norte-americanos estiveram na Lua, entre 1969 e 1972.

A China, que há cerca de um ano se tornou o primeiro país a enviar uma sonda ao lado oculto da Lua (o que não é visível da Terra), ambiciona também levar o seu primeiro astronauta à sua superfície e construir uma base lunar.

A capacidade do foguetão Longa Marcha-5 é equiparada à dos foguetões europeu Ariane-5, norte-americano Delta IV Heavy e russo Proto-M.

Atualmente, o Falcon Heavy, da empresa aeroespacial norte-americana SpaceX, é o foguetão mais potente do mundo, tendo destronado o Saturno V, que levou os primeiros astronautas em direção à superfície da Lua em julho de 1969.