Atentado à bomba no Afeganistão faz pelo menos nove mortos

19 Jul 2019 / 10:04 H.

Pelo menos nove pessoas morreram hoje num atentado bombista perto da Universidade de Cabul, Afeganistão.

O balanço anterior do ataque apontava para quatro mortos. Um novo balanço do Ministério da Saúde avança agora com pelo menos nove mortos, entre os quais o atacante (que viajava num veículo carregado de explosivos e fugia à polícia) e 33 feridos.

“A informação que temos é que a universidade não seria o alvo do ataque (...). O veículo estava a ser perseguido pela polícia e o atacante foi forçado a fazê-lo explodir na estrada”, disse à agência espanhola EFE o porta-voz da polícia, Firraws Faramarz.

A explosão ocorreu perto da entrada sul da Universidade de Cabul.

Segundo o porta-voz, “agora está claro que foi um suicida e se não fosse pela pressão das forças de segurança, que impediram o insurgente de atingir o alvo de seu ataque, poderia ter sido mais mortal”.

“Ainda estamos a investigar quem pode estar por trás do ataque e qual era o objectivo”, disse Faramarz.

Até ao momento, nenhum grupo reivindicou a responsabilidade pelo ataque.

O último grande ataque em Cabul ocorreu a 1 de Julho, quando pelo menos 11 pessoas foram mortas e 65 ficaram feridas, num atentado à bomba reivindicado pelo grupo extremista talibã, ao qual se seguiu um tiroteio num edifício do Ministério da Defesa.

O ataque ocorreu num momento em que decorrem conversações no Qatar entre uma delegação dos talibãs e representantes dos Estados Unidos, para se alcançar a paz no Afeganistão.

Ambos procuram uma solução para quase duas décadas de conflito armado no país, embora até agora os talibãs se recusem a sentar à mesma mesa que o Governo afegão.

De acordo com as últimas informações divulgadas pelo Inspector Geral para a Reconstrução do Afeganistão (SIGAR) do Congresso dos Estados Unidos, o Executivo de Cabul controla apenas 54% do território, o ponto mais baixo desde que se iniciou a contabilização de dados em 2015.

Outras Notícias