Sindicato dos Professores da Madeira teme que Governo Regional não vincule este ano nenhum docente

25 Abr 2019 / 09:12 H.

Francisco Oliveira, presidente do Sindicato dos Professores da Madeira (SPM), justifica a concentração de docentes da RAM, esta quinta-feira, 25 de Abril, junto à ALM, como forma de chamar à atenção para “as medidas penalizadoras” que têm sido tomadas pela tutela.

O sindicalista fala, nomeadamente, da “situação de grande precariedade dos docentes contratados e desempregados”, com largos anos ao serviço na RAM por entender que “em relação à situação do ano passado houve um retrocesso” que o SPM contesta por entender que “no mínimo” este ano deveria ser igual a 2018 “ao fim de quatro contratos ou dez de carreira pudessem vincular”.

Segundo o coordenador do SPM, “este ano estamos em querer que não vai vincular ninguém” o que para o SPM é algo de “extraordinário”, considera.

Outra das preocupações são as perdas de tempo de serviço dos períodos transitórios entre carreiras, que puseram em causa a estrutura legal da carreira docente e que na Madeira diz afectar cerca de 2000 professores.

Outras Notícias