SESARAM instaura processo disciplinar a Rafael Macedo

22 Mar 2019 / 11:19 H.

A presidente do Conselho de Administração do Serviço de Saúde da Região (SESARAM), Tomásia Alves, disse há pouco em conferência de imprensa que foi decidido instaurar um processo disciplinar a Rafael Macedo e “determinar a sua suspensão enquanto o processo decorrer por considerar que a sua presença pode perturbar as investigações necessárias para a descoberta material da verdade”. “Não vamos continuar a permitir que um colaborador que mereceu a confiança da instituição continue a denegrir a imagem nos vários meios disponíveis, nas redes sociais, na comunicação social, sem responsabilidade e sem qualquer sustentação nas informações que veicula”, disse a responsável, acrescentando que, na sequência de anteriores denúncias daquele médico, decorreram vários processos de averiguação em diversas instâncias e que todos eles foram arquivados. Tomásia Alves acrescentou ainda que Rafael Macedo divulgou informações e dados pessoais de carácter sigiloso e confidencial, que causou alarmismo e prejudicou a imagem e bom nome do SESARAM, que quebrou a confiança em si depositada e que ofendeu a honra e bom nome de colegas.

A conferência de imprensa (a segunda em dois dias e a terceira posição pública assumida pelo SESARAM) decorreu numa sala repleta de funcionários (médicos e não só) da empresa pública que gere os hospitais e centros de saúde da Região.

A presidente do conselho de administração explicou que a conferência foi convocada para “defender o bom nome da instituição” e “repor a confiança, a serenidade, tranquilidade e estabilidade, numa equipa altamente diferenciada, competente e dedicada”. Tomásia Alves revelou ainda que a prestação de cuidados de Medicina Nuclear continuará a estar assegurada nas próprias instalações do SESARAM “garantindo a resposta adequada a todos aqueles que dele necessitarem na Região”.

Outras Notícias