Raquel Coelho lamenta que o PS se tenha tornado uma cópia do PSD

02 Dez 2019 / 17:55 H.

A deputada municipal do PTP, Raquel Coelho, acusou hoje o executivo camarário do Funchal de não ter a humildade democrática para aceitar as propostas da oposição, de forma a que o orçamento para 2020 fosse aprovado.

Para o PTP, o executivo municipal, não tem mais ninguém a quem culpar do que a si próprio pelo chumbo do orçamento municipal.

“No dia que o PS, defenestrou os partidos democráticos da Coligação Mudança, para cumprir com os desígnios dos seus novos patrões, sediados no Largo dos Varadouros, colocou a sua governação e legitimidade em cheque, abrindo a porta ao mercantilismo político”, disse Raquel Coelho.

“Aliaram-se ao CDS estes anos todos e agora que estes viraram o bico ao prego, querem que os restantes partidos da oposição viabilizem a vossa governação. Não pode ser, meus senhores, com quem andaram casados estes últimos anos que se orientem”. Foi com ironia e contundência que a deputada do PTP, criticou as opções governativas do executivo camarário agora presidido por Miguel Gouveia.

Para o PTP, o Orçamento de 2020, era uma oportunidade para o município se livrar das “pulgas e das carraças” da presidência anterior, mas a “bandalheira” continua. São da opinião que falta a Miguel Gouveia sentido de Estado. “Em vez de corrigir os erros passados está preocupado que o novo PS, o aprove como cabeça lista para as próximas eleições à Câmara do Funchal”.

Raquel Coelho também vincou o seu desagrado pelos gastos excessivos com a propaganda institucional da câmara, que no seu ver revela a falta de soluções para resolver os problemas do município. “Se precisam de pagar à imprensa para que digam bem da sua governação é porque as coisas não estão bem, já chega de trabalho de fachada”, referiu.

Outras Notícias