Projecto de aquacultura para o mar defronte à Fajã dos Padres “diluiu-se”

Teófilo Cunha garante que “não existe nenhum projecto” para aquela que é uma das cinco zonas de implantação da actividade na Madeira

28 Jan 2020 / 12:58 H.

O projecto de instalação e exploração de piscicultura em jaulas a mar aberto para engorda da Dourada que chegou a ser anunciado para a zona entre o Cabo Girão e a Fajã dos Padres “diluiu-se”, assegurou hoje secretário regional de Mar e Pescas, Teófilo Cunha, à margem da reunião mantida com os industriais da pesca - Ilha Peixe, JNA, Gelatum e Cooopesca – onde também esteve presente o novo director regional de Pescas, Rui Fernandes.

Teófilo Cunha confirmou que uma das cinco zonas de implantação da aquacultura na Madeira situa-se no mar defronte à Fajã dos Padres, mas assegurou que já não existe nenhum projecto para ser ali concretizado: ”Neste momento “não existe ninguém interessado para aquela área”, afirmou.

No caso de surgir interessados em concretizar a exploração naquela área geográfica, não colocou de parte conceder licença, mas avisou que “há ali questões que deverão ser ponderadas”.

Já sobre a polémica na aquacultura na Ponta do Sol, considerou que apenas fez “uma intervenção meramente pedagógica para as pessoas perceberem o que é a aquacultura”, anunciando que estão a ser preparadas “para dentro em breve” acções de esclarecimento, sobretudo dirigidas “às pessoas que pouco sabem de aquacultura”, de modo a (tentar) formar uma consciência colectiva de acordo com os parâmetros que norteiam a actividade.

“Uma coisa é certa: vai haver explicações às pessoas para perceberem realmente o que é a aquacultura”, afirmou.

Esclareceu ainda que “não estão definidos prazos” para concretizar a nova instalação e que a mesma “deverá” ficar “ligeiramente afastada” da área defronte à vila da Ponta do Sol.