Pedro Marques diz que o caminho para a vitória nas Regionais começa já a 26 de Maio, veja o vídeo

13 Mar 2019 / 22:17 H.

O cabeça de lista do Partido Socialista às eleições europeias reafirmou, hoje, a ideia de que o sufrágio será a primeira volta das Regionais e apelou a uma luta sem tréguas para que o partido consiga atingir esse desiderato e fazer a mudança na Madeira.

Na apresentação pública da candidata apontada pelo PS-Madeira às Eleições Europeias, Sara Cerdas, Pedro Marques deixou o desafio: “Nós precisamos de começar nas eleições de 26 de Maio o caminho, pisar no acelerador e não parar mais até à grande vitória que queremos ter nas eleições regionais da Madeira em setembro”.

“Para conseguirmos mudar a Madeira, ter a Madeira com um projecto de futuro, de mais igualdade, de mais emprego, nós precisamos agora, nestas eleições europeias, da vossa confiança, da confiança dos madeirenses», afirmou Pedro Marques, acrescentando que «se queremos mudar a Madeira para melhor, mudar muito a Europa para melhor, então é preciso lutar”.

Pedro Marques destacou a escolha de Sara Cerdas “mostrando o PS à Madeira que não estamos agarrados aos mesmos de sempre e sabemos trabalhar com os nossos, mas também com a sociedade civil, com os melhores, para construir mais futuro para a Europa, mas mais futuro para a Madeira”.

Por outro lado, o candidato socialista considerou que “o vento da mudança tem de chegar a esta Região porque este modelo de desenvolvimento do betão e da dívida está esgotado». «É preciso mudar, apostar na inovação, no emprego e na redução das desigualdades”, afirmou.

Por seu turno, Sara Cerdas, que foi fortemente aplaudida, afirmou que as eleições para o Parlamento Europeu são o primeiro dos três actos eleitorais que vamos ter na Região este ano e disse compreender bem a responsabilidade de ser candidata no primeiro escrutínio, “numas eleições que são muito importantes não só para a Região, como para o País”.

A candidata apontou três grandes desafios que se colocam à governação política a qualquer nível: a criação de emprego, a redução das desigualdades sociais e da pobreza e o investimento na educação e qualificação dos madeirenses e porto-santenses.

“A Candidatura do Partido Socialista ao Parlamento Europeu assume como compromisso um novo contrato social ao serviço dos cidadãos. O primeiro eixo deste novo contrato social para a Europa deve ser uma nova agenda social de combate à pobreza e às desigualdades, que promova a coesão e a convergência, que valorize a educação e a formação profissional como instrumentos decisivos para a mobilidade social, que defenda o direito dos trabalhadores e a conciliação entre a vida pessoal, familiar e profissional, com o combate a todas as formas de discriminação, que defenda o modelo social europeu e garanta o acesso à saúde aos serviços públicos”. Destacou também a defesa de um quadro financeiro plurianual que valorize as políticas de coesão, a política agrícola comum e que tenha em consideração as condições específicas das Regiões Ultraperiféricas.

Anunciou ainda que até 26 de Maio irá visitar todas as freguesias da Madeira e Porto Santo. “Iremos ao encontro do maior número de pessoas, compreenderemos as suas necessidades tentando enquadrar o trabalho do Parlamento Europeu procurando elaborar soluções políticas que nos levarão a enfrentar os principais desafios com medidas concretas e que façam a diferença no dia a dia das pessoas», sublinhou, acrescentando ainda que «votar no PS nestas eleições é votar na defesa intransigente dos interesses de Portugal e da Madeira e é votar na alternativa progressista para o futuro da Europa”. “Espero que estas eleições sejam também o início de uma caminhada que nos levará no dia 22 de setembro a uma mudança política histórica na Região”, rematou.

Paulo Cafôfo diz que as Europeias são “importantíssimos”

Já o candidato do PS-M à presidência do Governo Regional considerou que estas eleições serão importantíssimas para os madeirenses, porque é na Europa que se decide muito do futuro da nossa Região. “A Europa não é algo distante. Grande parte das decisões estão na Europa e em Bruxelas precisamos que alguém defenda a Madeira e precisamos também que aqui a Europa seja defendida nesta Região”, disse Paulo Cafôfo.

O candidato socialista à Quinta Vigia afirmou que Sara Cerdas “é o exemplo daquilo que a Madeira precisa para se afirmar no futuro, que é dar lugar de destaque a uma nova geração de pessoas competentes, novas e motivadas”.

“Pessoas como a Sara são o exemplo de que há uma nova geração que quer mudar e transformar a Região. Temos o melhor lugar de sempre na lista nacional, o que demonstra que para o PS a Madeira e os madeirenses contam”, vincou, acrescentando que «a Sara representa o que de melhor a Madeira tem – as pessoas, que são a nossa maior riqueza e nosso maior potencial de desenvolvimento”. Paulo Cafôfo aproveitou também para lançar algumas farpas ao PSD: “Enquanto temos caras novas, eles apresentam velhas caras. Enquanto nós abrimo-nos à sociedade civil, eles continuam na linhagem e na elite partidária. Enquanto nós olhamos para o futuro, eles estão presos ao passado. Enquanto nós temos um projecto, eles navegam à vista. Enquanto temos energia, eles têm inércia. Enquanto fazemos uma política pela positiva e com ideias, eles só falam mal e têm uma política do bota abaixo. Nós queremos uma racionalidade nos investimentos, eles continuam com um modelo assente na dívida. Nós queremos uma cultura de diálogo, eles querem uma cultura de conflito e de gritaria”, afirmou.

Por seu turno, o presidente do PS-M mostrou-se confiante no trabalho que Sara Cerdas irá fazer no Parlamento Europeu em representação da Região.

Não obstante, Emanuel Câmara disse que nada está ganho e que é preciso muito trabalho e o apoio de todos. Especialmente quando temos um “desafio extra, aquele sonho que todos aqui temos, que é finalmente derrubar o PSD do poder que há 43 anos se mantém nesta Região”. “É importante e fundamental que, a partir de hoje, cada vez mais trabalhemos afincadamente”, afirmou.

“Temos a oportunidade de escrever o nosso nome na história da Região Autónoma da Madeira, tendo um grande resultado já nas Europeias, ganhando pelos madeirenses e porto-santenses finalmente o Governo Regional e terminando o ciclo com um grande resultado” nas eleições para a Assembleia da República, sustentou o líder dos socialistas madeirenses.

Outras Notícias