NÓS, Cidadãos! regista “contínua e crescente” falta de médicos de família na Região

24 Jan 2020 / 12:26 H.

“Na Região Autónoma da Madeira, a escassez de médicos de família não tem sido diminuída, bem pelo contrário, em algumas zonas, inclusive freguesias do Funchal, há agora utentes que no início de 2019 ainda tinham médico de família e hoje já não”. Quem o diz é o partido NÓS, Cidadãos! num comunicado hoje dirigido à imprensa.

NÓS, Cidadãos! aponta que, em plena época gripal, “mais uma vez um número considerável de utentes – por não ter médico de família atribuído e por falta de assistência coordenada nos Centros de Saúde – teve (e tem), infelizmente, de recorrer às urgências do Hospital Central do Funchal - Dr. Nélio Mendonça, aumentando e entupindo assim o serviço com as chamadas ‘falsas urgências’.

O partido NÓS, Cidadãos! alega ainda ter conhecimento de que “até as consultas para prescrição de medicação para doentes crónicos (apelidadas de consultas ‘directas’) estão também já com listas de espera”, pelo que

questiona o Secretário Regional da Saúde “o que é feito da promessa, realizada em Maio de 2017, de dar um médico de família a cada madeirense e porto-santense?”

Interroga ainda “ao Dr. Pedro Ramos, qual foi, até 31 de Dezembro de 2019, o número de médicos de família ou de Medicina Geral e Familiar que a Região conseguiu captar com o regime de incentivos criado para a fixação destes profissionais pelo anterior executivo (do qual fez parte), e que previa um pacote financeiro que podia chegar aos 51.600 euros, para cada profissional, ao fim de três anos?”